Trindade

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Versão mínima (triângulo equilátero) básica do "Escudo da Trindade" ou "Scutum Fidei" diagrama de simbolismo cristão tradicional.

A trindade é uma ontologia especificamente Cristã de Deus. A palavra vem do latim Trinitas, que significa "trindade" ou "triunidade". É uma ontologia de teísmo diferente do Unitarianismo. Uma variedade totalmente única de teísmo, que é muito diferente do Unitarianismo islâmico e judeu. O Trinitarianismo sustenta que Deus se revela em três pessoas únicas. Embora únicas elas têm relacionamento e dentro do texto bíblico são referidas metaforicamente como Pai, Filho (a saber, Jesus Cristo) e Espírito Santo. Cada natureza individual de Deus existe com propósito independente e tendo relação de dependência com a outra, todas unidas dentro do que é algumas vezes referido pelos teólogos como a Divindade.

Os cristãos se distinguem dos outros teístas por sua compreensão da Divindade como uma e como três, e por sua crença de que Deus redimiu o mundo através de Jesus de Nazaré.[1]

Evidência bíblica

É importante notar que a sistematização é necessária para que esta doutrina cristã seja compreendida. Nem a palavra trindade nem qualquer equivalente ocorre na Bíblia, no entanto, esta doutrina cristã é logicamente derivada de muitas declarações espalhadas por toda a Escritura. O Trinitarianismo (três em um), embora não explicitamente encontrado no texto bíblico, está implicado tanto no Velho Testamento como no Novo Testamento. Estudos sistemáticos das Escrituras sob escrutínio exegético por estudiosos têm destacado diferentes nuances e aspectos da sintaxe e gramática que demonstram mais do que uma pessoa de Deus. A visão tradicional é que a Bíblia ensina que Deus é realmente um Deus, mas que existem três diferentes manifestações da natureza para o mundo. O Espírito Santo é como ser aceito na vida de uma pessoa sobre a fé na vida, morte, e ressurreição de Cristo, e como tal é considerado uma parte de Deus.

Mesmo no primeiro capítulo do Gênesis, bem como outros lugares do Antigo Testamento, Deus é visto como sendo três pessoas;[2][3]

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra." - Genesis 1:26

A palavra para Deus sendo usada em Gênesis 1:26 no original hebraico, é Elohim (אלהים, ʼElōhīm) e quando ela é usado com o substantivo plural "nós" refere-se especificamente à mais de dois. Vários outros lugares também observam, cerca de duas dezenas de vezes apenas no Antigo Testamento, que existe somente um Deus e na verdade eles afirmam que Deus não conhece nenhum outro deus (Isaias 44:8 ).

Pode=se colocar então que o Pai, o Filho e o Espírito Santo não são deuses separados, como alguns acreditam, porque a implicação subjacente apresentada é a de que cada um é uma parte de um único Deus. Esta é, naturalmente, uma visão consistente mantida pelos autores da Bíblia toda. É através da natureza trina de Deus que entendemos a Sua vontade para nós, a medida que Ele exibe os atributos que entendemos através da razão humana e da lógica, e, em última análise, permitindo que uma filosofia possa ser formada sobre a natureza de Deus.

Trindade ontológica

A trindade ontológica é a trindade na forma como ela existe para si mesma sem levar em conta nada do que foi criado. A trindade ontológica é conceituada no estado de espírito e não depende do relacionamento da trindade com o mundo.

Trindade econômica

A trindade econômica são as relações das pessoas da Trindade para o mundo, especialmente no plano de salvação para a humanidade. A palavra usada mais freqüentemente para descrever a natureza de Deus é hipóstase, que significa a substância ou a natureza essencial de alguma coisa,[4] e pode designar mais do que um. Hipóstase de Deus segundo a Sua palavra escrita claramente implica três naturezas distintas. No entanto cada uma pode ser única, com fins específicos e, ainda assim cada hipóstase é igual porque a sua constituição é de um Deus ou Divindade.

É importante notar que Jesus Cristo ou o Filho faz a vontade do Pai (Lucas 22:42 ) e o Espírito Santo concorda com a vontade de ambos (João 16:13-14 ).

Deus Pai

O Pai é a fonte suprema ou causa de:

  1. A criação do universo e os diferentes tipos de vida (Genesis 1:12-24 ; Romanos 1:20 ; 1Corintios 8:5-6 ; Apocalipse 4:11 ).
  2. A revelação divina. O Pai revelou divinamente não só a Lei para os profetas do Antigo Testamento, mas o Seu amor para o mundo através de Seu Filho (Apocalipse 1:1 ; Mateus 11:27 ).
  3. Salvação através de Seu Filho Jesus Cristo (João 3:16 ).

Deus Filho

O Filho é um agente de Deus, o Pai, cujo propósito é o seguinte:

  1. Criação e manutenção do universo (João 1:3 ).
  2. A revelação divina do Pai para o mundo (Mateus 11:27 ).
  3. Salvação. Através da fé na vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo, o homem pode ser salvo (Romanos 10:9 ; João 3:16 ).

Deus Espírito Santo

O Espírito Santo é a revelação para a humanidade ou manifestação do espírito de Deus pelo qual o Pai realiza o seguinte:

  1. Criação e manutenção do universo (Genesis 1:2 ; Jó 26:13 ; Salmos 104:30 ).
  2. Revelação divina, bem como uma fonte de discernimento (João 16:12-15 ; Efésios 3:4-7 ; 2Pedro 1:20-21 ).
  3. A salvação através da aceitação do Espírito Santo em sua vida (João 3:6 ; Tito 3:5-7 ; 1Pedro 1:1-2 ).
  4. O Espírito Santo é também a fonte das obras de Jesus (Isaias 61:1 ; Atos 10:38 ).

Desafios históricos

Houveram muitos desafios ao longo dos últimos dois milênios em cima das várias crenças que o cristianismo detém. Os desafios apresentados pela história serão os primeiros conhecida após a morte e ressurreição de Cristo, cerca de 290 anos depois.

Divindade do Filho desafiada

A heresia surgiu no século IV em torno de 318 dC em que Ário, o primeiro a argumentar o caso, afirmou que o Filho (Jesus Cristo) não é de fato totalmente humano e totalmente Deus, mas era um ser criado. Ele foi formado a partir do nada pelo Pai antes que o universo fosse feito. Ário era um pregador popular de Alexandria, apesar de possivelmente ser de descendência Líbia, mas foi fortemente contestado por seu bispo Alexandre de Alexandria. Por trás do pensamento de Ário estava o pressuposto de que, se Cristo fosse totalmente humano e totalmente Deus, ele exigiria dois deuses distintos.

Sob o governo de Constantino, o Grande, o Concílio de Nicéia (Nicéia I) foi convocado e 318 bispos atenderam ao concílio e tornaram-se uma voz condenando a heresia ariana. O resultado foi o Credo de Nicéia, que muitas igrejas seguem até hoje.

Referências

  1. Charlers Taliaferro, Paul Draper and Phillip L. Quinn, A Companion to Philosophy of Religion (Wiley-Blackwell, 2nd Edition 2010), pg. 59
  2. (Genesis 3:22 , Genesis 11:7 , Isaias 6:8 )
  3. Rich Deem. The Triunity (Trinity) of God in The Old Testament. Página visitada em 1 de Julho de 2012.
  4. hypostasis. Página visitada em 1 de Julho de 2012.

Ligações externas