Astronomia

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Cosmos.jpg

A Astronomia é o estudo científico da matéria no espaço exterior com o objetivo de determinar ou medir as propriedades de objetos distantes, tais como distâncias, posições, dimensões, distribuição, magnitudes, movimentos, composição, condição física, energia, evolução, e as causas de seus fenômenos diversos. Os astrônomos estudam o conteúdo do Universo a partir do nível elementar de partículas e moléculas (com massas de 10-30 kg) até os maiores superaglomerados de galáxias (com massas de 1050 kg).[1] A Astronomia criacionista difere apenas na medida em que tenta explicar os fenômenos estelares partindo do pressuposto de que os corpos celestes foram criados por Deus. A maioria dos criacionistas também extraem a partir de textos religiosos, como a Bíblia, fundamentos para a introspecção.

Atualmente, embora a astronomia continua a fazer importantes descobertas, ainda está em sua infância no que diz respeito ao ganho da profundidade de entendimento. Alguns argumentam que ela tem muitas noções errantes. (Ver Citações sobre astronomia)

Ramos importantes nesta disciplina incluem astrofísica e cosmologia.

* A Astrofísica trata da física dos fenômenos estelares.
* A Cosmologia é o estudo da origem, estado atual e futuro do cosmos.

Medições astrofísicas e análises são utilizadas para compreender a história cosmológica, a estrutura e a dinâmica constitutivas do nosso universo.

Idade do Universo

A Bíblia explicitamente data o universo como sendo da mesma idade que a Terra e pouco mais de 6000 anos. Na verdade, segundo a Bíblia, todos os outros corpos celestes são um pouco mais jovens que a Terra. No momento, quando a Terra foi criada não havia outros planetas, estrelas, cometas, e outros corpos semelhantes no universo. Nenhum deles veio à existência até o quarto dia do Semana da Criação (Veja: Gênesis Capítulo 1). Há de fato muitas evidências para apoiar a afirmação de que o nossa sistema solar, as galáxias e mesmo a totalidade do universo é muito jovem.

Em contraste, os cientistas seculares datam o universo como sendo cerca de 13,7 bilhões anos usando a cosmologia padrão. [2] Se crê que o universo tenha começado com uma inflação cósmica conhecida como o Big Bang, que foi seguida pela formação das estrelas, planetas e galáxias. Com base nessa cronologia acredita-se que a Terra se formou após o nosso Sol e é datada de perto de 4,6 bilhões de anos.

Objeto astronômico

Galáxias

Galáxia de espiral barrada

Uma Galáxia é um grande grupo de estrelas e gás e poeira interestelar se movendo em torno de um centro comum de gravidade. O termo galáxia vem da raiz grega Galakt, que significa "leite" (uma referência a nossa própria Via Láctea). Há provavelmente mais de cem bilhões (1011) de galáxias no universo observável, com média perto de cem bilhões de estrelas cada. Galaxies variam em tamanho de anões com apenas 10 milhões (107) estrelas até gigantes com um trilhão (1012) de estrelas.[3]

Estrelas

Uma Estrela é um corpo no espaço de grande tamanho que produz quantidades importantes de calor e luz. Estrelas são compostas por plasma incrivelmente quente e são classificadas por tamanho e intensidade. O sol é convencionalmente considerado uma estrela, embora o relato da criação do Gênesis menciona as estrelas, secundariamente, após registar a criação do sol no quarto dia. Os evolucionistas afirmam que a formação ou alteração das estrelas deve levar milhões de anos para ocorrer, no entanto alterações de estrelas tem sido observadas em poucos anos.[4] Estas ainda são amplamente difundidas como visão da ciência moderna e são realmente fundadas em teorias de evolução estelar que são principalmente baseadas em indícios obtidos a partir de estudos dos espectros estelares relacionados à luminosidade.

Planetas

Solar system planets.jpg

A palavra planeta vem da palavra grega πλανήτης, (planetes) que é derivada a partir da palavra πλάνης, (planes) que significa "andarilho". [5] Originalmente, o termo foi aplicado a qualquer objeto que se movia no céu incluindo estrelas. No entanto, a medida que um quadro mais completo do nosso universo surgiu a partir do trabalho dos astrônomos, a classificação de planeta tornou-se mais específica. No nosso sistema solar existem oito planetas definidos: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Em 2006, a União Astronômica Internacional (IAU) rebaixou Plutão de sua classificação como planeta para planeta anão, porque não estava em conformidade com os critérios estabelecidos recentemente.

Planetas anão

Um Planeta anão é qualquer corpo celeste que satisfaz todos os critérios para ser um planeta, exceto um: ele não "limpa a vizinhança" de sua órbita de todos os objetos e detritos externos. Atualmente, Éris, Plutão, e o ex-asteróide Ceres se enquadram nessa categoria. A IAU inventou a categoria de "planeta anão", após a descoberta de Eris, um corpo maior que Plutão, mas que, como Plutão, não havia limpado a sua órbita de detritos.

Luas

Uma Lua é um satélite natural que orbita um planeta ou um planeta anão. O corpo conhecido como A Lua é o objeto específico em órbita em torno da Terra, mas cerca de 200 outras luas são conhecidas no nosso sistema solar, em órbita em torno de seis dos oito planetas e dois dos planetas anões (Plutão e Eris). Por exemplo, Júpiter tem mais de sessenta satélites, incluindo as suas maiores quatro, as luas Galileu. A lua da Terra é o objeto mais brilhante no céu noturno, refletindo a luz do sol. A lua é o único corpo astronômico além da Terra já visitado por seres humanos.

História

Gregos

Uma das criações mais poderosas da ciência grega foi a astronomia matemática criada por Hiparco no século II aC e tendo a forma final dada por Ptolomeu no século II dC. O trabalho de Ptolomeu era conhecido na Idade Média através versões latinas imperfeitas. No século XV, na Itália, no entanto, ele foi trazido de volta à vida. George Trebizonda, um emigrante de Creta na cúria, produziu uma nova tradução e um comentário. Estes se mostraram imperfeitos e despertaram críticas muito aquecidas. Mas um astrônomo alemão, Johannes Regiomontanus, um protegido do brilhante eclesiástico grego Cardeal Bessarion, veio para a Itália com seu patrono, aprendeu grego, e produziu uma grande escala "Epitome" da obra de Ptolomeu da qual a maioria dos astrônomos aprenderam sua arte para o próximo século e muito mais. Copérnico foi apenas uma das celebridades da Revolução Científica, cujo trabalho repousava em grande parte, no estudo da ciência antiga realizada no século XV na Itália.[6]

Referências bíblicas para os Céus

A Bíblia fala de três céus: o primeiro céu é a atmosfera, o terceiro céu é o lugar da presença direta de Deus e é, possivelmente, não-físico, ou pelo menos fora dos limites do universo físico, e o segundo céu é o universo físico para além da atmosfera da Terra, o reino da astronomia.

Os céus são a única parte da criação creditada em proclamar a justiça de Deus.

Os céus proclamam a justiça dele, pois Deus mesmo é Juiz. [Selah] Salmos 50:6

Os céus anunciam a sua justiça, e todos os povos vêem a sua glória. Salmos 97:6

Pela Palavra e Mão de Deus

Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo sopro da sua boca. Salmos 33:6

Desde a antigüidade fundaste a terra; e os céus são obra das tuas mãos. Salmos 102:25

e: Tu, Senhor, no princípio fundaste a terra, e os céus são obras de tuas mãos; Hebreus 1:10

Pois eles de propósito ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste; 2Pedro 3:5

Deus estendeu aos Céus

E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar. Isaías 40:22

Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus e os desenrolou, e estendeu a terra e o que dela procede; que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito aos que andam nela. Isaías 42:5

Assim diz o Senhor, teu Redentor, e que te formou desde o ventre: Eu sou o Senhor que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus, e espraiei a terra (quem estava comigo?); Isaías 44:24

e te esqueces de Senhor, o teu Criador, que estendeu os céus, e fundou a terra, e temes continuamente o dia todo por causa do furor do opressor, quando se prepara para destruir? Onde está o furor do opressor? Isaías 51:13

A palavra do Senhor acerca de Israel: Fala o Senhor, o que estendeu o céu, e que lançou os alicerces da terra e que formou o espírito do homem dentro dele. Zacarias 12:1

Não desanime pelos Céus

Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais do céu; porque deles se espantam as nações, Jeremias 10:2

Não é feita de coisas que são visíveis

Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê. Hebreus 11:3

.


Os mundos foram preparados pela palavra de Deus e Deus não depende de coisas que são visíveis para criar as coisas visíveis que vemos hoje. A palavra de Deus afirma realidades diversas que não são perceptíveis aos sentidos naturais. Estes incluem espíritos, anjos, demônios e o próprio Deus.

Astrômomos

Criacionista

Secular

Notícias de astronomia

News.JPG

Grupos criacionistas

Referências

  1. In: Karttunen, H.; Kröger, P.; Oja, H.; Poutanen M.; Donner, K. J. Fundamental Astronomy. 5ª ed. Berlin, Heidelberg, New York: Springer, 2003. p. 5. ISBN 978-3-540-34143-7
  2. Age of the Universe by Edward L. Wright. University of California Los Angeles, Division of Astronomy & Astrophysics.
  3. Galaxy por Wikipedia
  4. Speedy star changes baffle long-agers Creation 19(4):7–9. September 1997
  5. "Entry for 'planet'," Wiktionary, January 9, 2008. Accessed January 14, 2008.
  6. Mathematics Rome Reborn: The Vatican Library & Renaissance Culture. Library of Congress (18 de Julho de 2002). Página visitada em 9 de Agosto de 2012.

Links relacionados

Livros e Vídeos