Bíblia

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Uma Bíblia latina manuscrita em 1407 AD.

A Bíblia é uma coleção de pequenos livros registrando a história do mundo antigo, Israel, a vida de Jesus Cristo, e a Igreja cristã primitiva. Ele contém 66 livros, 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento[1], escrito por 40 autores diferentes por mais de 1500 anos.[2] Nenhum outro livro na história é tão popular, ou tão reverenciado, nem tão diverso em seu contexto como as vidas de quem o escreveu.

Devido a ser valorizada como a palavra cobiçada de Deus, a Bíblia tem sido bem preservada, e traduzida em mais línguas do que qualquer outro livro na história. Os manuscritos originais podem ser encontrados nas mais antigas línguas escritas na Terra, e também contém uma das sequências genealógicas mais antigas que se tem conhecimento existir, abrangendo cerca de 4.000 anos. Simplesmente não há outro livro em existência que oferece o melhor registro cronológico do início da história da Terra.

Os criacionistas tem um número de pontos de vista sobre a confiabilidade da Bíblia, desde a estrita inerrância[3] para a acurácia substantiva. No entanto, todos os cristãos concordam que a Bíblia é história, e não mitologia ou alegoria, porque o texto em si é tão obviamente histórico em estilo e conteúdo a menos que de outra forma implícito no texto através de uma exegese histórico-gramatical.

A palavra "Bíblia" teve suas origens no antigo porto Fenício chamado Byblos, que foi assim chamado como resultado do comércio e fabricação de material de escrita com base no papiro ou cana byblos, amplamente utilizado na antiguidade para fazer pergaminhos e livros. A palavra grega biblos foi baseada nesse, e ele veio a ser a palavra para livro (um pequeno livro era chamado biblion), e pelo 2º século dC, os cristãos gregos tinham chamado as Escrituras τα βιβλία, ta Biblia ("os livros") que foi transferido para o Latim, abandonando-se a partícula ta; a palavra percorreu o seu caminho para o francês antigo, onde o plural foi abandonado em favor do singular, tornando-se, portanto, a palavra Bíblia em Português ou Bible em Inglês.[4][5][6]

Canonicidade

A Bíblia é uma coleção de escritos antigos, compostos de 66 livros separados, escritos ao longo de aproximadamente 1.600 anos, por pelo menos 40 autores distintos. O Antigo Testamento contém 39 livros escritos a partir de aproximadamente 1500 a 400 aC, e o Novo Testamento contém 27 livros escritos a partir de aproximadamente 40 a 100 dC. A Bíblia judaica (Tanakh) é o mesmo que o Antigo Testamento cristão, com exceção do seu arranjo dos livros. O Antigo Testamento original foi escrito principalmente em hebraico, com alguns trechos em aramaico, enquanto o original do Novo Testamento foi escrito em grego comum.[7]

O Antigo Testamento

Manuscrito do século 11 da Bíblia hebraica com Targum.

O Antigo Testamento, também chamado de Bíblia Hebraica (Hebraico: כִּתְבֵי הַקּדֶשׁ, Kitvei HaKodesh, As Sagradas Escrituras) ou Tanakh (Hebraico: תנ״ך, Tanakh, acrônimo para Torah, Nevi'im, and Ketuvim)[8], consiste tre trinta e nove livros. Os próprios livros foram escritos originalmente em hebraico, e mais tarde no aramaico, linguagem da Palestina. O Velho Testamento no idioma grego foi escrito após a conquista de Alexandre, o Grande em torno de 130 aC e é conhecido como a Septuaginta. Isto implica uma data ainda mais antiga para um cânone do Antigo Testamento estabelecido geralmente aceita situando-se dentro do século quinto ao terceiro século aC (400 a 200 aC).

Livros deuterocanônicos

Os livros deuterocanônicos (grego: "Segundo Canon") são sete livros, incluídos na Septuaginta, que os católicos e Ortodoxos incluem no Antigo Testamento, mas que os protestantes geralmente não. Classicamente eram chamados membro dos::Apócrifos pelos protestantes. Mas hoje a palavra apócrifos denota uma classe de literatura, que inclui estes livros deuterocanônicos mais vários outros de renome variando de validade histórica.

O Novo Testamento

O Novo Testamento é uma coleção de vinte e sete livros e cartas, escritos por testemunhas oculares e por pessoas que alcançaram o depoimento de testemunhas oculares.[9] Sendo que os mais antigos manuscritos existentes são em grego e no contexto da helenização que ajudou a desenvolver a cultura do primeiro século Palestina, os estudiosos concluíram que o Novo Testamento foi escrito originalmente em grego. Concluído antes de 100 AD a ênfase do Novo Testamento é a vida, os ensinamentos, a crucificação, a morte, a ressurreição e o dom da salvação de Jesus de Nazaré.

NT Wright, um estudioso do Novo Testamento influente, pinta um retrato rápido da história da leitura do Novo Testamento em seu livro The New Testament and the People of God (O Novo Testamento e do Povo de Deus). Wright recomenda a leitura do Novo Testamento como não apenas de forma histórica, mas teológica, contextos que permitam o Cristianismo manter uma prática de teologia histórica. No entanto por toda a história da leitura do NT tem havido;

... quatro formas (leituras pré-crítica, histórica, teológica e pós-moderna) correspondem de forma muito ampla a três movimentos dentro da história da cultura ocidental nos últimos séculos. O primeiro pertence ao período antes do Iluminismo do século XVIII, o segundo, a ênfase principal do Iluminismo, também conhecido como 'modernismo' ou 'modernidade', o terceiro, corrigindo o segundo, ainda dentro da visão de mundo do Iluminismo começou a quebrar-se sob o questionamento de muitos lados, e que se tornou conhecido como 'pós-moderno'.[10]

Tradução Literal

Algumas traduções inglesas da Bíblia são estritamente representações das palavras nas línguas originais palavra por palavra ou o mais próximo possível, chamada de tradução literal. Outras Bíblias em inglês mantem um tom popular, permitindo parafrases. Por exemplo, a Nova Versão Internacional (NVI) difere na escolha das palavras usadas quando comparada com a New American Standard (NVI).

A tradução literal da NASB tornou o próximo texto quanto possível às línguas originais.

Divisão em capítulos e versículos

A divisão da Bíblia em capítulos é atribuída a Hugo de Sancto Caro, um cardeal católico romano por volta do ano 1240. A divisão dos capítulos do Antigo Testamento em versículos é atribuído ao Rabino Mordecai Nathan, um famoso professor judeu, por volta de AD 1445. Robert Stephens fez a divisão em versículos do Novo Testamento no século 16.[11]

Livros da Bíblia

A tabela a seguir lista os livros do Antigo e Novo Testamentos, que estão ligadas ao índice pesquisável em BibleGateway.com

Antigo Testamento

Novo Testamento

Versões da Bíblia

Inglês

Grego

Latim

Português

Referências

  1. Unger, Merrill F. In: Harrison, R. K.. The New Unger´s Bible Dictionary. Chicago: Moody Press, 1988. p. 169-171. ISBN 0-8024-9037-9
  2. Slick, Matthew J. (1995). The Bible (em inglês). Christian Apologetics and Research Ministry. Página visitada em 6 de Maio de 2012.
  3. Archer, Gleason L. Encyclopedia of Bible Difficulties. Grand Rapids, Michigan: Zondervan Publisher House, 1982. p. 7. ISBN 0-310-43570-6
  4. Unger, Merril F. Unger's Bible Handbook, Moody Press, Chicago, IL, 1967, p. 143. ver também Unger's Bible Dictionary, Moody Press, Chicago, IL, 1966.
  5. Moulton, James H., and others. A Grammar of New Testament Greek (dois volumes), editada por Wilbert Francis Howard, T&T Clark Publishers, Harrisburg, PA (1985); publicado originalmente em 1920, Edinburgo, Escócia.
  6. Blass, Frederich, and others. A Greek Grammar of the New Testament and other early Christian literature, traduzido por Robert W. Funk; University of Chicago Press, Chicago, IL (1961); German edition Grammatik des Neutestamentlichen Griechisch Friedrich Rehkopf, editor, 14th edition. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 1976.
  7. History of the Bible by All About The Journey.
  8. Unterman, Alan. Dicionário Judaico de Lendas e Tradições. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1992. 278 p. p. 50. ISBN 85-7110-243-0
  9. Lecture with Dr. Peter Williams on the evidence that builds a case for eyewitness accounts in the New Testament By Lanier Theological Library. Mar 23, 2011
  10. The New Testament and the People of God por NT Wright, página 7. Fortress Press, 1992
  11. Smith, William. Smith´s Bible Dictionary. Nashville: Holman Bible Publishers, 1979. p. 438. ISBN 0-87981-033-5

Ligações externas

Sociedades Bíblicas

Português

Inglês

Textos da Bíblia online

Hebraico

Latim

Português

Inglês

Turco

Outros

Comentários e Análises

Wikis