Planeta anão

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Imagem com cor verdadeira de Plutão
Um planeta anão é um satélite do sol que satisfaz os seguintes critérios agora definidos pela International Astronomical Union:
(a) está em órbita em torno do sol, (b) tem massa suficiente para que sua própria gravidade supere as forças de corpos rígidos de modo a assumir uma forma de equilíbrio hidrostático (aproximadamente redondo), (c) ainda não clareou a vizinhança em torno de sua órbita, e (d) não é um satélite.[1]

Plutão

O primeiro dos planetas anões já descoberto foi Plutão. Na época, nenhum astrônomo pensava em classificar Plutão de forma diferente da de qualquer outro planeta. No entanto, Plutão sempre foi uma anomalia entre os planetas. Não só era o menor planeta, mas também era um planeta rochoso ou "terrestre" em uma região que deveria ter apenas gigantes gasosos no seu interior, de acordo com a hipótese da nebulosa. Alguns astrônomos até a especulavam que o Sol tinha capturado Plutão de fora de seu sistema.

Eris

Éris e o seu satélite, Disnomia.

O conceito de "planeta anão" data corretamente da descoberta do objeto disco de dispersão chamado Eris em 05 de janeiro de 2005. Com a confirmação da identificação de Eris, um debate formal começou sobre o assunto do que constitui ou não um planeta. A comunidade de astrônomos decidiu que se basear na história e na tradição simplesmente não serviria. Os oito corpos celestes que agora permanecem sob a atual definição de planeta não compartilham suas órbitas com outros objetos. Os objetos agora chamados de planetas anões não têm essa distinção. E ainda assim esses objetos são significativamente mais pesados ​​do que meros asteróides, em que eles são tão pesados quanto seu próprio peso, e mais particularmente sua própria gravidade, obriga-os a assumir a forma redonda ou quase redonda que todos os planetas têm.

Éris tem uma outra distinção que forçou o debate: é mais massiva ainda do que Plutão (por 27 por cento) e é, portanto, o planeta anão mais pesado já encontrado. A massa de Eris é inferida a partir dos parâmetros orbitais, incluindo os apsides e o período e, do pequeno corpo que orbita Eris. Se Plutão ainda poderia ser chamado de planeta, então Eris merecia essa distinção também.

Em 2006, a União Astronômica Internacional (International Astronomical Union) resolveu a questão. Eles determinaram que Éris não era um planeta, e nem Plutão. Mas os critérios que estabeleceram também provocaram ainda outra reavaliação do status de Ceres, o objeto maior e primeiro a ser descoberto no cinturão de asteróides. Após análise, a IAU declarou que Ceres é um planeta anão também.

Hoje, a lista de planetas anões se limita a esses três: Eris, Plutão e Ceres.

Tabela

Lista de todos os planetas anões conhecidos, a partir do interior para o exterior:

Nome Periélio Afélio Excentricidade Ano sideral Inclinação Massa Dia sideral
Ceres 2.547 AU 2.987 AU 0.0795 4.602 a 10.586 ° 0.0129 M☾ 9.075 h
Plutão 29.658 AU 49.305 AU 0.249 248.09 a 17.142 ° 0.178 M☾ -153.294 h
Eris 37.93 AU 97.53 AU 0.44 557.4 a 44.159 ° 0.226 M☾ 8 h

{{#ask:Primário::SolMembro de::Planeta anão |?Apoapsis#UA=Aphelion |}}

Ceres

Referências

  1. IAU0602: the Final IAU Resolution on the Definition of 'Planet' Ready for Voting. International Astronomical Union (2005). Página visitada em 9 de Agosto de 2012.