Lente gravitacional

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Flexão da luz em torno de um objeto de grande massa a uma longa distância. As linhas brancas representam o caminho da luz partindo de uma fonte distante até alcançar um observador na Terra. As linhas cor de laranja representam a aparente posição do objeto para um observador.

Uma lente gravitacional é um efeito da gravidade sobre as fontes de luz distantes. Objetos celestes que podem emitir fortes campos gravitacionais podem agir como uma lente redirecionando os raios de luz. As reflexões da dobra gravitacional do caminho dos raios de luz é prevista pela teoria geral da relatividade de Einstein.

O efeito pode ser visto quando um objeto massivo (como uma galáxia ou um buraco negro) é posicionado entre uma fonte de luz e o observador. Em tais casos, a fonte de luz pode ainda ser vista frequentemente mesmo se completamente bloqueada de vista. Isso acontece porque a luz é desviada pela gravidade fazendo parecer como se a fonte de luz passasse bem pelo lado. Mas ao invés de criar uma única imagem, a lente gravitacional, muitas vezes cria várias imagens. Se a galáxia estiver perfeitamente simétrica em relação à linha entre a fonte luminosa e a Terra, então poderíamos ver um anel de luz.

A luz brilhante emitida a partir dos quasares é frequentemente observada demonstrando o processo de lente gravitacional. Uma lente gravitacional pode ser utilizada para estimar a distância para o quasar real usando geometria simples, se a massa e a distância da galáxia que causa o efeito da lente for conhecido.[1]

Classes das lentes

Efeito de lente gravitacional forte: Formação conhecida como Cruz de Einstein, com quatro imagens do mesmo quasar distante aparecendo em torno de uma galáxia em primeiro plano.

Existem três classes ou tipos de lentes gravitacionais, que são:

  1. Lente forte: Distorções bem visíveis, da luz de objetos distantes que causam a formação de anéis de Einstein, arcos e várias imagens.
  2. Lente fraca: Muitos objetos grandes devem estar agrupados juntos e são observados distorcer apenas por uma pequena percentagem. Isto é visto como o alongamento dos objetos de fundo perpendiculares à direcção do centro da lente.
  3. Microlente: As distorções não são vistas, mas a quantidade de luz recebida muda á medida que o tempo passa.[2]
Imagem do telescópio espacial Hubble de objetos com lentes gravitacionais.

Referências

  1. Gravitational Lensing. NASA. Página visitada em 11 de Agosto de 2012.
  2. Gravitational Lens. Answers.com. Página visitada em 11 de Agosto de 2012.

Ligações externas

  • Gravitational Lensing por Pete Newbury para a University of British Columbia, Instituto de Matemática Aplicada.