Criacionismo

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Quadro de William Blake "Urizen como o criador do mundo material" de Europe, A Prophecy. 1794.

O Criacionismo é um sistema de crença que postula que o Universo, a Terra e a vida foram deliberadamente criados por Deus. Existem duas escolas principais de estudo conhecidas como criacionismo religioso e criacionismo científico, e um espectro de crenças sobre questões como a idade da Terra, a evolução biológica, e a extensão em que os processos naturais estiveram envolvidos no desenvolvimento do Cosmos.

Tipos de Criacionismo

Dentro das principais escolas de pensamento residem crenças diferentes no que diz respeito às manifestações da criação (ou seja, o universo, os organismos, os seres humanos). O Criacionismo universal é um princípio fundamental das principais religiões monoteístas. O Criacionismo humano também é um princípio expresso ou implícito. Algumas formas de criacionismo biológico, com o criador identificado como Deus, têm sido tradicionalmente cridas entre os adeptos das principais religiões monoteístas. Devido à aceitação do evolucionismo entre muitos intelectuais, o criacionismo biológico perdeu influência. No entanto, nas últimas décadas, um movimento surgiu para defender o criacionismo em bases teológicas, filosóficas e científicas. Isso é comumente chamado criacionismo.

Vários tipos de criacionismo também podem ser distinguidos com base nas razões e argumentos utilizados. Assim, há o criacionismo religioso ou teológico, o criacionismo filosófico e o criacionismo científico. Na prática, esses tipos de criacionismo muitas vezes se sobrepõem. No entanto, o criacionismo científico utiliza argumentos científicos.

Criacionismo universal

Criacionismo universal - a doutrina ou crença de que o universo foi criado por Deus sem se valer de nenhuma entidade pré-existente. É, assim, oposto à todas as formas de panteísmo.

Criacionismo biológico

Criacionismo biológico - a doutrina ou crença de que as diferentes espécies ou tipos de seres vivos foram criados e por isso não são o produto de um processo natural. O Criador é geralmente identificado como Deus, o Criador do universo. É, portanto, contra o evolucionismo.

Criacionismo humano

Criacionismo humano - a doutrina ou crença de que cada alma humana é criada, particularmente por Deus. É, portanto, contra o traducianismo.

Criacionismo religioso

O Criacionismo religioso é a crença de que o universo e a vida na Terra foram criados por uma divindade toda-poderosa. A posição tem uma base profundamente enraizada nas Escrituras, que é invocada para discernimentos sobre a história do mundo. O Criacionismo bíblico se baseia na Bíblia, enquanto o criacionismo islâmico é baseado no Alcorão.

Criacionismo filosófico

O Criacionismo filosófico é a defesa do criacionismo por razões filosóficas. Ela está relacionada com argumentos filosóficos para a existência de Deus e se tornou parte da teologia natural.

Criacionismo científico

O Criacionismo científico é a defesa do criacionismo em fundamentos científicos. Embora ele tenha aparecido antes do evolucionismo, por exemplo, com os geólogos escriturais, ele é mais conhecido por seus argumentos contra a evolução e por uma ou mais hipóteses ou teorias científicas da criação biológica. Isso inclui o Criacionismo da terra jovem, o Criacionismo da terra antiga e o design inteligente.

Design inteligente

O Design inteligente (DI) infere que as leis naturais e o acaso por si só não são suficientes para explicar todos os fenômenos naturais. Ele não é regido por doutrina religiosa, nem faz afirmações sobre quem foi o criador. O DI não usa textos religiosos para formular teorias sobre a história do mundo. O DI simplesmente postula que o universo possui evidências de que foi inteligentemente projetado.

Criacionismo extraterrestre

O Criacionismo extraterrestre é a visão de que a vida na Terra foi criada por uma raça de extraterrestres que vieram para ser adorados pelos homens como deuses e é descrita em textos religiosos antigos.

Idade da criação

Talvez não exista assunto que tipifique e divida mais os criacionistas uns dos outros ou da corrente principal da ciência do que a "idade da criação" (ver geocronologia e cronologia cósmica). A maioria dos estudiosos da Bíblia concorda que uma leitura clara de Gênesis presta a uma interpretação de uma Terra e um universo jovens, e os criacionistas ofereceram muitas evidências científicas para apoiar esse ponto de vista. No entanto, para harmonizar a Bíblia com as afirmações da ciência naturalista a respeito da idade do cosmos, uma série de teorias criacionistas foram formuladas, principalmente a teoria dia-era (também conhecida como criacionismo progressivo) e a teoria do intervalo.


Nome Opinião sobre a idade da Terra Opinião sobre a origem da vida Opinião sobre Gênesis
Criacionismo da terra jovem A Terra não tem mais do que 10.000 anos. Difusão de hélio, radiohalos, o decaimento do campo magnético da Terra, e muitos outros fatos limitam a idade da Terra para menos de 10.000 anos. A datação radiométrica, alegada como evidência de que a Terra é antiga, é baseada em falsas premissas, e não é confiável. Elohim deliberadamente e rapidamente criou todos os tipos criados na Terra, totalmente intactos, com capacidade para evolução biológica. Ele então viu o que havia criado e viu que "era muito bom." Gênesis foi concebido como história, e seus cronogramas e idades precisas fornecidos para os eventos devem ser levados a sério. Os dias da criação são vistos como dias literais, de 24 horas, porque a frase "e foi a tarde e a manhã, o segundo dia"[1] não pode ser interpretada de maneira sensata como qualquer outra coisa que não um dia de 24 horas.
Criacionismo progressivo A Terra tem aproximadamente 4,6 bilhões de anos. O universo tem aproximadamente 13,7 bilhões de anos. A datação radiométrica é um meio preciso de se determinar a idade da Terra. Deus criou a vida na Terra lenta e gradualmente, ao longo de milhões e bilhões de anos, seja por meio da evolução ou pela espera de milhões de anos entre os atos de criação. Os dias da criação em Gênesis representam longos períodos de tempo, e não dias literais de 24 horas. Para apoiar isso, 2 Pedro 3:8 é frequentemente citado. Os criacionistas da Terra jovem, no entanto, sustentam que isso é uma citação equivocada, e que o versículo tem como propósito afirmar a atemporalidade de Deus, e não ser uma diretriz para se interpretar os 'dias' de Gênesis (ou os 'dias' de qualquer outra parte da Bíblia, a propósito).

Introdução ao criacionismo

Para uma Introdução ao criacionismo, os seguintes artigos podem ser úteis:

  • Disciplinas no criacionismo: O criacionismo é multidisciplinar, envolvendo ciência, história, filosofia, e religião. Essas disciplinas são interdependentes, e o criacionismo não pode ser nem um pouco compreendido a menos que seja entendido à luz de todas essas disciplinas.
  • Filosofia da ciência: A ciência é apenas tão boa quanto a filosofia sobre a qual está fundamentada. Evolucionismo e criacionismo são baseados em duas filosofias da ciência diferentes, as quais são semelhantes em muitos aspectos, mas também carregam diferenças importantes. É impossível entender o criacionismo sem entender a sua filosofia da ciência e sem entender porque os criacionistas acreditam que seja correta.
  • Epistemologia da Bíblia: Criacionistas e evolucionistas têm visões diferentes sobre como a Bíblia deve ser usada ou interpretada. O criacionismo se baseia na crença de que a Bíblia é um relato historicamente preciso dos eventos antigos. O evolucionismo é baseado na crença de que não existem causas sobrenaturais, e afirma que a Bíblia é ou alegórica ou mitológica, mas não histórica. É impossível entender o criacionismo sem entender os relatos históricos na Bíblia, e por que os criacionistas acreditam que eles são corretos.
  • Gênesis: O livro de Gênesis fornece muito mais do que um relato dos "Sete Dias da Criação". Ele fornece um registro complexo e detalhado de eventos históricos e pessoas que se estende por cerca de 2.000 anos. É impossível entender o criacionismo sem entender a profundidade e a amplitude da história em Gênesis, e por que os criacionistas acreditam que realmente aconteceu.
  • Geologia do dilúvio: Um grande volume de literatura e evidência foi acumulada em relação ao Dilúvio global de Noé. Geólogos do dilúvio acreditam que as características geológicas da Terra só podem ser explicadas com sensatez com referência ao dilúvio enorme e horrível que cobriu a Terra 4-5.000 anos atrás, o qual foi registrado e relembrado por todas as culturas no mundo antigo.
  • Biologia criacionista: Um grande volume de literatura e evidência foi acumulada para apoiar a crença de que a vida não se originou espontaneamente, mas mostra evidência positiva de ter sido deliberadamente projetada, e que toda a vida na Terra não é aparentada, mas que se originou separadamente.
  • A astronomia e a cosmologia criacionista lidam com a origem, a estrutura e as relações de espaço-tempo do universo. Engloba não só o mundo observável físico ou natural, mas também o meio metafísico pelo qual Deus governa e sustenta a criação.
  • Antropologia criacionista: Criacionistas e evolucionistas têm sérias divergências em relação à origem e a natureza dos seres humanos.
  • Datação radiométrica: Um grande volume de literatura e evidência foi acumulada dando provas de que os métodos de datação radiométrica usados ​​para determinar a idade das rochas e fósseis são baseados em uma combinação de pressupostos comprovadamente falsos e não falseáveis, tornando-os não confiáveis a ponto de não serem úteis.

História do criacionismo

O criacionismo tem uma história de vários milhares de anos, e encontrou-se em conflito com o evolucionismo há quase tanto tempo. Notáveis ​​primeiros proponentes pagãos incluem Lao Tzu, Platão e Cícero. As escrituras hebraicas fornecem o relato da criação mais detalhado e mais conhecido, conhecido como criacionismo bíblico, que é aceito pela maioria dos cristãos e judeus ortodoxos. O Criacionismo islâmico é idêntico à narrativa central do criacionismo bíblico, mas tem algumas diferenças sutis. No século 19, com o advento do método científico, os criacionistas começaram um programa de pesquisa sistemática, conhecida como ciência da criação, que cresceu em importância ao longo do século 20 até hoje. Durante o mesmo período de tempo, no entanto, o criacionismo passou a ser excluído do discurso científico e do ensino regular público, de modo que a sua investigação e educação teve lugar quase inteiramente através de meios privados. No final do século 20 e início do século 21, um movimento conhecido como design inteligente cresceu em proeminência, o qual visa apenas fornecer evidências positivas de que a vida, a terra e o universo foram projetados, sem identificar o designer explicitamente.

De acordo com uma pesquisa Gallup de 2004, 45% dos americanos acreditam que Deus criou os seres humanos nos últimos 10.000 anos, 38% acreditam que Deus guiou a evolução, 13% acreditam que a evolução ocorreu sem a orientação de Deus, e 4% acreditam em alguma outra coisa ou não têm opinião nenhuma.[2]

Notícias

Predefinição:Notícias do criacionismo

Referências

  1. Genesis 1:8
  2. desconhecidos (22 de Movembro de 2004). Poll: Creationism Trumps Evolution. CBS News. Página visitada em 13 de Maio de 2012.

Leituras adicionais

Internas

Externas

Ver também

Referências