Jonathan Sarfati

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Jonathan Sarfati.jpg

Dr Jonathan D. Sarfati (nasc. Nascido::1 Outubro, 1964) é um renomado criacionista, físico químico, espectroscopista, e mestre de xadrez. Ele é mais famoso por ter uma postura inflexível sobre as origens do universo, da Terra e da vida, e por defender as Escrituras em sua leitura simples e natural contra qualquer tentativa de "conciliar" com "dados científicos" que a contradigam. Desde 1996, ele tem sido empregado como um cientista de pesquisa e consultor editorial para a Creation Ministries International. Em 2010, transferiu-se da CMI-Au para a CMI-USA. [1]

Jonathan Sarfati
PO Box 350
Powder Springs,
GA 30127

Vida e carreira

Jonathan Sarfati nasceu em Ararat, Austrália, em 1964. Mudou-se para a Nova Zelândia quando criança e lá recebeu sua primeira educação.[1] Ele se formou pela Victoria University of Wellington, com um Bacharelado (com honras acadêmicas) em Química, com dois artigos de física substituídos, e um doutorado em Química, com base em sua tese: A Spectroscopic Study of some Chalcogenide Ring and Cage Molecules. Ele também teve trabalhos publicados em periódicos científicos peer-reviewed, incluindo co-autoria na revista Nature em supercondutores de alta temperatura, em 1987, quando tinha 22 anos.[2]

Em 1996 Sarfati mudou-se para Brisbane, Austrália, para trabalhar para o Creation Science Foundation (agora Creation Ministries International[3]) como co-editor da sua revista, Creation , e o peer-reviewed Journal of Creation. Lá tornou-se conhecido para sua escrita perspicaz e sua abilidade de recordar uma multidão de detalhes obscuros. Em 2010 mudou-se para Atlanta, Geórgia, para trabalhar com a CMI nos Estados Unidos.

Graus

  • B.Sc. (Com Honras) em Química (com os artigos matéria condensada e física nuclear substituídos)
  • Ph.D. em Espectroscopia (Química)

História religiosa

Etnicamente judeu, Sarfati converteu-se ao Cristianismo em 1984.

Escritos

Sarfati escreveu numerosas publicações, incluindo cinco livros. Refuting Evolution, seu primeiro livro, uma refutação do guia de professores da National Academy of Sciences (Academia Nacional de Ciências) Teaching about Evolution and the Nature of Science (Ensinando sobre Evolução e a Natureza da Ciência), foi publicado em 1999.[4] Desde então, vendeu mais de 450.000 cópias. Isto foi seguido por uma continuação, Refuting Evolution 2, uma resposta a uma grande série em 7 partes da PBS/Nova e um artigo da Scientific American.

Em 2004, ele escreveu Refuting Compromise como uma refutação do criacionismo dia-era do Dr. Hugh Ross, que trata os dias de Gênesis 1 como logas eras, em uma tentativa de harmonizar o relato bíblico com a crença de que a Terra tem bilhões de anos."15 Reasons to Take Genesis as History" é um livro curto (de co-autoria com Don Batten) para resumir o caso teológico para a interpretação literal de Gênesis.

Um importante livro publicado em 2008, By Design, tem como subtítulo Evidence for nature’s Intelligent Designer—the God of the Bible. Este "apresenta caso após caso para o incrível design no mundo vivo, e derruba teorias da evolução química da primeira vida. No entanto, ao contrário de muitos no Movimento do Design Inteligente proeminente, ele está no topo sobre a verdade da Bíblia. Isto permite que ele refute muitos argumentos anti-design, e responda à pergunta chave: ‘Quem é o Designer?’"

Em 2010, ele escreveu The Greatest Hoax on Earth?, uma refutação detalhada do livro de Richard Dawkins The Greatest Show on Earth. Em 2012, ele atualizou um livro apologético geral clássico, Christianity for Skeptics, de Steve Kumar. Seus últimos livros (2015) são Busting Myths, contendo entrevistas com 30 Cientistas Ph.D. e The Genesis Account: A theological, historical, and scientific commentary on Genesis 1–11.

Sarfati também é autor de uma série de livretos, além de contribuir em capítulos e artigos de inúmeros livros e revistas, bem como cerca de 400 artigos no site do Creation Ministries International (uma lista mais completa pode ser encontrada em sua página biográfica). Ele é um palestrante popular em igrejas e conferências sobre a questão da criação versus evolução.

Xadrez

Sarfati jogando xadrez

Sarfati também mantém um grande interesse no xadrez. Um ex-campeão nacional de xadrez da Nova Zelândia (1987-1988),[5] ele representou a Nova Zelândia em três Olimpíadas de Xadrez.[6] . Ele também enfrentou Casse Rey no Campeonato Júnior australiano (1981), mas foi declarado inelegível por causa de sua residência na Nova Zelândia (ainda que Casse tenha nascido na Inglaterra). Ele foi três vezes campeão júnior da Nova Zelândia. Em um torneio em Wellington em 1988, ele empatou com o ex-campeão mundial de xadrez Boris Spassky.

Ele gosta de jogar xadrez "vendado", ou seja, de jogar a partir da memória sem visão ou qualquer contato físico com o tabuleiro, e tem sido conhecido por jogar doze de tais jogos simultaneamente (veja algumas partidas e fotos).

Sarfati foi um dos top 1000 reviewers no Amazon.com. Além de livros relacionados ao xadrez, suas opiniões abrangem também os livros religiosos e científicos.

Publicações

Refutingevolution2.jpg

Livros

Artigos (uma seleção)

Vídeos

Apresentações disponíveis

Título Descrição
Designed For Life (Projetado para a Vida) Novas descobertas estão constantemente apontando para o design intrincado que Darwin nunca sonhou. De fato, os projetistas humanos estão constantemente aprendendo da "natureza", em um campo crescente chamado biomimética. Tal design – e a informação para esse design – apontam para um Designer.
Refuting Compromise (Refutando a Concessão) Desde o surgimento da "ciência" uniformista, tem havido muitas concessões da Escritura distantes de seu significado original. Mas isso tem tido efeitos nefastos sobre a autoridade e a suficiência das Escrituras. Ela também prejudica a causalidade do pecado para a morte, que fundamenta o ensinamento do Evangelho de que Jesus morreu por nossos pecados.
The Christian Roots of Science & Busting the Myths of Evolution (As Raízes Cristãs da Ciência e Rebentando os Mitos da Evolução) Por que a ciência floresceu no Ocidente, e só no Ocidente? A cosmovisão bíblica forneceu os pressupostos que permitiram a ciência florescer, enquanto ela era natimorta em outros lugares como a Grécia e a China. Os evolucionistas negam esse fundamento bíblico para a ciência, acusando o cristianismo de superstições que mantinham a ciência para trás. Jonathan destrói habilmente o mito da ‘Idade das Trevas’—um tempo marcado por muitos avanços científicos. Ele também rebenta os mitos sobre Galileu, a crença em uma Terra plana, e muito mais.
Science or ‘Spin’? Real Science Supports the Bible! (Ciência ou 'Distorção'? A Verdadeira Ciência Apoia a Bíblia!) O que é 'verdadeira ciência'? Jonathan discute a distinção entre 'ciência das origens', que procura explicar o que aconteceu no passado, e 'ciência operacional', que é testável, repetível, e é a fonte de coisas como celulares e antibióticos. Ele mostra como o que vemos da ciência operacional—coisas que observamos hoje—apoiam as declarações da Bíblia sobre as origens e um Designer inteligente—o Deus da Bíblia.
Creation Declares the Glory of God! - Incredible Design in Nature (A Criação Declara a Glória de Deus! - O Design Incrível na Natureza) Podemos dizer quando algo mostra evidências de ter um designer humano. Então, quando as coisas na natureza mostram as mesmas características - só que em um nível muito mais complexo - faz sentido atribuir isso a um Designer também. Jonathan discute várias evidências de design magnífico na natureza, incluindo o ADN, máquinas moleculares, a complexidade da célula, e outros. Ele também derruba argumentos de 'design ruim'.
Six Days…Really? Refuting Compromise from the Scriptures (Seis Dias... Realmente? Refutando a Concessão das Escrituras) Um entendimento de Genesis de seis dias e uma terra jovem é o único que vem do próprio texto, razão pela qual o resto da Escritura o interpreta dessa maneira. Pontos de vista de longas eras são uma aberração moderna que vêm da imposição de ideias externas da “ciência” uniformitariana sobre o texto. Veja como visões com concessões tornam a Bíblia sem sentido para um mundo agonizante. Você será encorajado e energizado para ouvir que não há necessidade alguma de concessão e que existem respostas. A evidência para a criação e o relato bíblico da história está toda ao nosso redor se somente soubermos como olhar para ela, e Jonathan irá mostrar-lhe como fazer exatamente isso!
Are Miracles Scientific? (Os Milagres São Científicos?)
  • Os milagres não são muito comuns na Bíblia.
  • O que as leis da natureza podem e não podem dizer sobre eles.
  • O argumento circular de Hume contra os milagres.
  • Pode um ateu sequer defender a lei natural que ele usa para atacar os milagres?
  • Os milagres são na verdade uma adição à lei natural, em vez de uma exceção.
  • Os milagres são uma ameaça para a ciência?
  • Por que nós devemos confiar nos relatos bíblicos sobre os milagres (autenticidade do texto, a confiabilidade dos autores)
  • Esnobismo cronológico
  • Refutando a tese de imitação do paganismo

Referências

  1. 1,0 1,1 Dr Jonathan D. Sarfati B.Sc. (Hons.), Ph.D., F.M.: Biography. Creation Ministries International. Página visitada em 15 de março de 2017.
  2. Mawdsley, A.; Trodahl, H. J.; Tallon, J.; Sarfati, J.; e Kaiser, A. B. (16 de Julho de 1987). "Thermoelectric power and electron-phonon enhancement in YBa". Nature (328): 233-234. Página visitada em 7 de Março de 2008.
  3. Jonathan D. Sarfati, physical chemistry. Creation Ministries International. Página visitada em 2013-04-03.
  4. Working group on Teaching Evolution, National Academy of Sciences. Teaching about Evolution and the Nature of Science. Washington, D.C.: National Academy of Science, 1998. ISBN 0-309-06364-7
  5. "Title and Trophy Holders", Chess in New Zealand, New Zealand Chess Federation. Accessed March 7, 2008.
  6. In: Ashton, John F. In Six Days: Why Fifty Scientists Choose to Believe in Creation. Green Forest, AR: Master Books, 2000. p. 75. ISBN 0-89051-341-4

Links relacionados