Hedonismo

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.

Hedonismo (Grego: ἡδονισμός, hēdonismos, deleite) é a filosofia materialista de que o bem supremo é o prazer. A moralidade baseia-se na crença de que as coisas que trazem mais prazer são as mais morais. Uma variedade de hedonismo que se aplica às populações expande isso para dizer que o que traz o maior prazer para o maior número de pessoas é a melhor coisa para se voltar os esforços. Nesta segunda interpretação, o prazer pessoal não é visto como o maior bem, porque o que uma pessoa quer pode ser em detrimento de um número muito maior de pessoas. Ver Hitler, Stalin, Mao Tsé-Tung, Pol Pot, e vários reis tirânicos, imperadores e faraós ao longo da história--enquanto o cristão bíblico denunciaria seus atos como imorais baseados na Lei de Deus, o hedonista só pode "logicamente" denunciá-los como imorais com base no fato de que eles causaram desagrado a um grande número de pessoas. Ironicamente, a maioria da Alemanha nazista apoiou os vários programas de eutanásia de Hitler,[Carece de fontes] de modo que o hedonista nem sequer pode explicar logicamente por que O Holocausto estava errado, seguindo essa linha de lógica.

Absolutamente não

O hedonismo, por natureza, não pode explicar as leis absolutas da moralidade. Uma vez que os objetos de desejo das pessoas mudam, as coisas que causam prazer ao maior número também mudarão. Com o risco de ser redundante, observe que se algo mudar, não é absoluto.

Se a maioria das pessoas deseja subjugar a minoria, então isso é moral, de acordo com o hedonismo.

Felizmente, existe uma lei absoluta, e a lei absoluta exige um Legislador absoluto. A Bíblia, contendo a Palavra de Deus, é a única fonte de verdade absoluta e moralidade na existência. O hedonismo é apenas uma outra filosofia baseada em humanos que falham em conseguir se medir.

"O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria." Provérbios 9:10

Relação com outros sistemas de crenças

O hedonismo é a base "ética" para a religião do Humanismo, a crença de que o homem, e não Deus, é a medida de todas as coisas. O hedonismo depende muito do naturalismo, pois a existência do imaterial tornaria o prazer base inferior à salvação divina.

Referências