A evolução é o fundamento de uma visão de mundo imoral (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (A evolução é o fundamento de uma visão de mundo imoral (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).


Alegação CA001:

A evolução é o fundamento de uma visão de mundo imoral.

Fonte: Moon, Rev. Sun Myung. 1990 (27 Mar.). Parents day and I.

Resposta da CreationWiki:

Sobre a questão da moralidade, é importante lembrar que existem dois tipos de evolucionistas:

  1. Aqueles que acreditam na moral - alguns ateus e todos teístas
  2. Aqueles que acreditam que não há tal coisa como moralidade (certo e errado) - alguns ateus

Ao estabelecer que "a evolução é o fundamento de uma visão de mundo imoral", é preciso haver uma coisa como imoralidade. É incomum para um ateu admitir que não existe tal coisa como a moralidade. Portanto, essa resposta vai lidar com aqueles que reconhecem a moralidade, e deixar a discussão de uma visão de mundo vazia de moralidade para uma página diferente.

(citações da Talk.Origins em azul)

1. A evolução é descritiva. Ela pode ser imoral somente se tentar descrever com precisão a natureza ser imoral.

A evolução em si não é imoral, mas ela tende a remover o fundamento da moral, levando a imoralidade.

Se a evolução fosse verdade, então descrevê-la não seria imoral. No entanto, assim como vimos no mundo real, esta "descrição" providenciou uma justificativa convincente, se não uma motivação, para a asquerosa imoralidade que você pode imaginar na história humana, incluindo eugenia, genocídios, e o Darwinismo social.

O ato de descrever, e quaisquer conclusões do dessa descrição, podem ser descritas como moralmente neutras somente se a descrição é precisa.

2. Quaisquer morais derivadas da evolução teriam de reconhecer o fato de que os seres humanos evoluíram para ser animais sociais. Em um ambiente social, cooperação e mesmo o altruísmo levam a uma melhor adequação (Wedekind e Milinski 2000). O processo de evolução leva naturalmente a animais sociais, tais como os seres humanos desenvolvendo princípios éticos, como a Regra de Ouro.

Existem alguns casos em que a seleção natural favoreceria a cooperação e, talvez, o altruísmo. É igualmente verdade, porém, que a seleção natural favorece principalmente os gananciosos, egoístas e sexualmente violentos. Em outras palavras, qualquer moral derivada da evolução teria de reconhecer o fato de que nenhum comportamento pode ser considerado certo ou errado. A cooperação ou o altruísmo não são mais ou menos virtuosos do que a ganância ou egoísmo, no grande esquema da história.

Mesmo como um argumento abstrato, a evolução reduz a moralidade para apenas mais um atributo biológico, uma simples questão de implicar que determinada condição "nos ajuda a sobreviver". Qualquer "código moral" então deve obter a sua base, em termos de "melhor aptidão". E qual é essa base na seleção natural, se não a sobrevivência e a reprodução?

Que argumento que você poderia usar contra alguém que quer roubar o seu carro? "Não faça isso, pois isto não está em seus genes"? "Isto é contra-produtivo para a sobrevivência do nosso pool de genes!"?

3. Algumas morais ruins, como a eugenia e o darwinismo social, são baseados em mal-entendidos da evolução. Portanto, é importante que a evolução seja ensinada bem para negar tais equívocos.

A chave para este argumento é a palavra "algumas". É irrelevante saber se algum comportamento imoral é baseado em um mal-entendido da evolução. O importante é que algumas imoralidades provém logicamente a partir de uma compreensão correta da evolução.

Conforme a própria teoria da evolução, assumindo a sua qualidade de imediato, a seleção natural, a regra é que importa o que ajudar na sobrevivência e reprodução dos genes. Quanto aos exemplos específicos de eugenia, e seus irmãos o racismo e o genocídio racial, anlém do darwinismo social, a pessoa só precisa usar o subtítulo de "Origens.. E da preservação das raças favorecidas" de Darwin.

4. Apesar das alegações em contrário, o criacionismo tem seus próprios problemas. Por um lado, ele é fundado sobre a intolerância religiosa, de modo a fundação do criacionismo, pela maioria dos padrões, é imoral

Esta declaração é flagrantemente falsa.

Não é preciso ser um cristão para aceitar o relato bíblico da criação. Por exemplo, um judeu ou muçulmano não deveria ter nenhum problema com ele.

Independentemente disso, é irrelevante saber se o cristianismo promove fanatismo religioso ou não. Afirmar isso não faz absolutamente nada para refutar a alegação de que a evolução leva a uma visão de mundo imoral. As conclusões lógicas do cristianismo são um tópico independente às conclusões lógicas da evolução.

5. Provavelmente a arma mais eficaz contra os maus costumes é a exposição e a publicidade. A evolução (e a ciência em geral) é baseada em uma cultura de tornar públicas as informações.

Na verdade, a arma mais eficaz contra os maus costumes é uma base sólida para os bons costumes. A evolução remove a base para bons costumes, permitindo que aqueles que não querem a moral explorem os outros.

6. Os cientistas são seus próprios críticos mais ferrenhos. Eles desenvolveram códigos de comportamento ético por várias circunstâncias, e eles começaram a falar sobre uma ética geral (Rotblat, 1999). Os criacionistas não têm nada semelhante.

Muitos criacionistas são cientistas, assim um código de ética profissional separado não é necessário. Além disso, os criacionistas têm a Bíblia como um fundamento da ética, que é mais firme do que qualquer discussão com base em fundamentos subjetivos (humanos) ou falhos (evolucionários). Qualquer reivindicação sobre a natureza dos cientistas se aplica a ambos criacionistas e evolucionistas, a menos que seja estabelecido primeiramente que não existem cientistas criacionistas.

7. Algumas pessoas se sentem melhor sobre si mesmos em demonizar outras. Aquelas pessoas que estão verdadeiramente interessadas em moral começam por olhar para a imoralidade dentro de si, e não a dos outros.

Sem desacordo aqui, mas também é irrelevante quanto à questão de uma relação entre evolução e imoralidade.

Referências relacionadas

Ver também