Eugenie Scott

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Eugenie Scott

Dr. Eugenie C. Scott (PhD. em antropologia) tem sido a diretora-executiva do National Center for Science Education desde 1987. Ela nasceu em 24 de outubro de 1945. Scott e seu marido, Thomas C. Sager, um advogado, têm uma filha e residem em Berkeley, California. Eugenie Scott é uma das mais notáveis anticriacionistas, e está na vanguarda em manter o design inteligente fora das escolas públicas.

Biografia

Conquistas acadêmicas

Eugenie Scott cresceu e passou a maior parte de sua infância em Wisconsin. She became interested in anthropology after she picked up and read her sister's anthropology textbook. Ela obteve um BS e MS da Universidade de Wisconsin-Milwaukee, e, pouco depois, um PhD na Universidade de Missouri - Columbia. Em 1974, ingressou na Universidade de Kentucky como uma antropóloga física. Scott começou a se interessar na controvérsia criação-evolução depois que ela participou de um debate entre seu mentor, James A. Gavan, e o criacionista da terra jovem, Duane Gish. Scott ensinou na Universidade Estadual da Califórnia, Hayward, e na Universidade de Colorado. Scott foi uma líder na tentativa bem sucedida para evitar que o criacionismo fosse ensinado nas escolas públicas de Lexington, Kentucky em 1980. O National Center for Science Education foi formado em 1981, em parte como resultado da questão anterior. Muitas outras cidades também estavam no processo de expulsão do criacionismo da rede pública de ensino, e assim o NCSE foi formado para ajudar na luta contra o criacionismo em escolas públicas. Scott foi nomeado como diretor executivo em 1987. Em 1987, o ensino da ciência da criação nas Escolas públicas americanas tornou-se ilegal pela Suprema Corte no caso Edwards v. Aguillard. Em 1994, Eugenie foi eleita para a Academia de Ciências da Califórnia. De 2000 a 2002, atuou como presidente da Associação Americana de Antropólogos Físicos. Scott também é membro da Sigma Xi: The Scientific Research Society , que foi fundada em 1886 na Universidade de Cornell. Um membro do corpo docente e um punhado de estudantes de pós-graduação se juntaram e começaram a Sigma Xi. Hoje há 60.000 cientistas e engenheiros que pertencem a Sigma Xi. [1]

Conquistas e Prêmios

Ao longo de sua carreira científica, Eugenie Scott recebeu muitos prêmios. Ela foi premiada com o Bruce Alberts Award pela American Society for Cell Biology em 1999. Ela recebeu da Sociedade Geológica da América o Public Service Award em 2001 . Em 2002 ela recebeu o Public Service Award da National Science Board pela, "sua promoção da compreensão pública da importância da ciência, o método científico e a educação em ciências e o papel da evolução no ensino de ciências". Também em 2002, o American Institute of Biological Sciences concedeu-lhe o primeiro Outstanding Service Award jamais recebido. Novamente em 2002, o Margaret Nicholson Distinguished Service Award da California Science Teachers foi concedido a Eugenie Scott. Scott recebeu a filiação honorária da The National Association of Biology Teachers em 2005. Ela foi premiada com a in the Media Award de Antropologia em 2006 pela American Anthropological Association. Eugenie Scott e Kenneth R. Miller receberam em conjunto o Outstanding Educator’s Award pelo Exploratorium Museum. Scott foi galardoada com títulos honorários pelas seguintes faculdades e universidades; McGill University em 2003, pela Ohio State University em 2005, Mount Holyoke College em 2006, e sua alma mater a University of Wisconsin, Milwaukee. Este ano (2007), ela deverá ser premiada com um doutoramento honoris causa pelaRutgers University. [2]

Visão de mundo

Eugenie Scott foi criada em uma casa cristã, e foi ensinada na ciência cristã por sua mãe e avó. Mais tarde, ela mudou para uma igreja Congregacional, devido à influência de sua irmã. Scott se rotula como tendo um pano de fundo protestante liberal, e ela é agora uma humanista secular, e não teísta. Em 2003, ela foi uma das signatárias, juntamente com outros notáveis anticriacionistas como Richard Dawkins, e o diretor de cinema Oliver Stone, do terceiro manifesto humanista, Humanismo e as suas aspirações. Este manifesto apresenta seis principais crenças;

  • O conhecimento do mundo é derivado da observação, experimentação e análise racional.
  • Os seres humanos são uma parte integrante da natureza, o resultado da mudança evolutiva não dirigida.
  • Os valores éticos são derivados de interesses e necessidades humanas como testado pela experiência.
  • O cumprimento da vida emerge da participação individual no serviço dos ideais humanitários.
  • Os seres humanos são sociais por natureza e encontrar um sentido nos relacionamentos.
  • Trabalhar em benefício da sociedade maximiza a felicidade individual.

Estes representam os ideais humanísticos fundamentais (ideais defendidos por Eugenie Scott), tais como o "humanismo é afirmar a dignidade eo valor de todas as pessoas, com base na capacidade de determinar o certo eo errado apelando às qualidades humanas universais - particularmente racionalidade." Estes pontos de vista levantam claramente os seres humanos para o mais alto padrão, não só esquecendo, mas ignorando e desconsiderando quem Deus é e quem nós somos Nele. O humanismo muitas vezes dá lugar ao hedonismo, o que dá lugar à desesperança.

Scott também é membro da Scientific Investigation of Claims of the Paranormalis (em português: Investigação Científica de Alegações dos Paranormais) (agora chamada de Committee for Skeptical Inquiry, em português: Comitê para a Investigação Cética). O Committee for Skeptical Inquiry é uma organização dos EUA sem fins lucrativos. A sua finalidade declarada é a de "incentivar a investigação crítica de alegações paranormais e de pseudo-ciências de um ponto de vista científico e responsável e divulgar informação factual sobre os resultados desses inquéritos à comunidade científica e ao público." Scott recdebeu o "Defense of Science Award" do Center for Inquiry por seus esforços em defender o evolucionismo e a "liberdade de ensino", o que é irônico, já que ela passou a maior parte de sua vida tentando eliminar o criacionismo de escolas públicas. A Wikipedia alega que Scott e seus colegas são completamente "respeitoso com as pessoas de fé que não possuem desejo de evangelizar suas crenças anti-científicas, mas, no entanto, os criacionistas continuamente criticam Scott, e continuamente se referem a ela como ateísta. Scott atua no National Advisory Council of Americans United for Separation of Church and State (em português: Conselho Nacional Consultivo dos americanos Unidos pela Separação entre Igreja e Estado).

Publicações

Evolutionvs.Creationism.jpg
  • Evolution vs. Creationism, An Introduction -publicado pela Greenwood Press em 2004, e publicado novamente em capa mole em 2005 pela University of California Press, em 2005. Este livro tenta fornecer uma visão equilibrada e abrangente sobre as facetas da questão evolução versus criação.
  • Not in Our Classrooms: Why Intelligent Design is Wrong for Our Schools - co-editado com Glenn Branch.

Esses são grandes publicações de Scott, embora ela já trabalhou em vários outras de menor importância.

Ligações externas