Richard Dawkins

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Richard Dawkins

Clinton Richard Dawkins (Nascido::26 Março, 1941) ensinou zoologia nas universidades da Califórnia e Oxford, e é Professor Charles Simonyi de Compreensão Pública da Ciência na Universidade de Oxford. Ele também é um autor e um comentarista de mídia. Dawkins é talvez melhor conhecido como um dos principais defensores da teoria da evolução.

Ateísmo e evolução

Dawkins é também conhecida pela sua forte defesa do ateísmo. Dawkins elogiou o movimento dos Brights (Brilhantes) na edição do The Guardian do Reino Unido de 21 de junho de 2003. O movimento Bright é um movimento dentro do ateísmo, que visa renovar a visão do público sobre o ateísmo.

Dawkins diz que a evolução permite que as pessoas sejam "ateus intelectualmente realizados"[1].

Em seu livro O Relojoeiro Cego (The Blind Watchmaker), Dawkins descreve um programa de computador concebido para simular a evolução, aparentemente alheio ao fato de que ele tenha feito um design inteligente do programa para demonstrar a possibilidade de uma evolução casual.

Entrevista em vídeo

Em 1997, Richard Dawkins, normalmente um homem eloqüente, pareceu estar um pouco sem palavras quando lhe foi perguntado em uma entrevista filmada a seguinte pergunta: "Professor Dawkins, você poderia dar um exemplo de uma mutação genética ou um processo evolutivo que pode ser visto como tendo aumentado a informação no genoma?".[2]

Mais tarde, ele deu várias desculpas por não responder à pergunta, mas apesar de um grande número de oportunidades, ele ainda não a respondeu. Ao contrário, ele atacou o produtor do vídeo e os criacionistas em geral, e usou o incidente como uma desculpa para evitar debater com criacionistas.[3] Georgia Purdom, Ph.d. geneticista molecular da AIG afirmou "Mutações só alteram a informação genética atual, elas nunca, nunca foram observadas sendo uma adição à informação genética, elas só podem mudar o que já está lá, eu tenho um monte de artigos vindo à minha mesa trazendo exemplos de mutações que supostamente adicionaram informações genéticas e eu estudei todos eles e nem UMA ÚNICA VEZ eu vi um que tenha adicionado informação genética, eles simplesmente não fazem isso".[4]

Criacionismo

Dawkins é um proeminente crítico do criacionismo, descrevendo-o como um "absurdo, uma falsidade encolhedora de mentes".[5]. O seu livro O Relojoeiro Cego contém uma crítica ao argumento do design, e suas outras obras de ciência popular, muitas vezes tocam no tema. Seguindo o conselho de seu falecido colega Stephen Jay Gould, Dawkins geralmente se recusa a participar de debates formais com os criacionistas, porque isso lhes daria o "oxigênio de respeitabilidade" que eles querem.[6] Ele argumenta que os criacionistas "não se importam em ser batidos em um argumento. O que importa é que nós lhes damos o reconhecimento ao se preocupar em discutir com eles em público."[7]

Em uma entrevista em dezembro de 2004 com Bill Moyers, Dawkins afirma que "entre as coisas que a ciência sabe, a evolução é tão certa como qualquer coisa que conhecemos". Quando Moyers depois perguntou: "A evolução é uma teoria, e não um fato?", Dawkins respondeu: "A evolução tem sido observada. É só que não tem sido observada ao mesmo tempo que está acontecendo". Dawkins então passa a dizer: "É um pouco como um detetive chegando em um assassinato depois da cena. E você ... o detetive não viu realmente o assassinato acontecer, é claro. Mas o que você vê é uma enorme pista... provas circunstanciais, mas massas de provas circunstanciais. Enormes quantidades de evidências circunstanciais".[8]

Visão Pessoal

Dawkins comparou o cristianismo com "um vírus" e chama o ensino da fé cristã para as crianças de "abuso infantil".[9] Ele também acredita que a rotulagem de crianças como membros de uma fé traz danos específicos às mentes jovens por serem forçadas a aceitar ideologias erradas e tira o direito da criança a aprender sobre os factos por si próprios.

Quando perguntado sobre a natureza contraditória de suas visões deterministas e a sua aceitação de crédito pessoal por escrever um livro ("Deus, um delírio" - em inglês: "The God Delusion"), Dawkins afirmou que era uma "questão difícil" e que ele não sabia o que pensar sobre isso. Quando perguntado se ele via ou não conflito nos dois pontos de vista, ele respondeu "Eu meio que vejo. Sim".[10]

Em 19 de novembro de 2006, Dawkins publicou um artigo de opinião no Scotland's Sunday Herald, intitulado "A eugenia pode não ser ruim", na qual ele afirma que a única razão pela qual a eugenia é rejeitada é por causa de sua ligação com Hitler, e pergunta: "se você pode produzir gado para produção de leite, cavalos para corridas de velocidade, e os cães para habilidade de pastoreio, por que na Terra deveria ser impossível cruzar os seres humanos para se ter capacidade matemática, musical ou atlética?"[11][12]

Apesar de sua crença somente no natural, Dawkins confessou que ele compartilha algumas superstições que ele chama de "comuns" e que ele acredita que são parte da biologia humana.[13]

Quando lhe pediram para descrever que crença ele mantém, mesmo que não pudesse ser provada, Dawkins respondeu "Eu acredito, mas eu não posso provar, que toda a vida, toda a inteligência, toda a criatividade e toda o 'design' em qualquer lugar do universo é o produto direto ou indireto da seleção natural darwiniana".[14]

Dawkins afirmou que os judeus "dominam a política externa dos EUA", ele foi criticado pela ADL pelos seus comentários.[15][16]

Publicações

Livros

Artigos

Videos

Dilema de Darwin : A Montanha do Improvável

Ver também

Referências

  1. U.S. News and World Report joins in the evolution onslaught. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  2. Frog Prince video-AiG. Página visitada em 13 de abril de 2012.
  3. Ross Olson. Richard Dawkins and the 11 Second Pause. 'What Happened During The Filming Of "From A Frog To A Prince"?'. Página visitada em 13 de abril de 2012.
  4. Purdon, Georgia. Dr. Georgia Purdom. answersingenesis. Página visitada em 10 de Setembro de 2012.
  5. A Scientist's View. Página visitada em 13 de abril de 2012.
  6. Why I Won't Debate Creationists. The Richard Dawkins Foundation for Reason and Science (14 de Maio de 2006). Página visitada em 25 de Junho de 2012.
  7. Dawkins, Richard. A Devil's Chaplain: Reflections on Hope, Lies, Science, and Love. [S.l.]: Houghton Mifflin Harcourt, 2004. Capítulo: 5, p. 218. ISBN 0-618-48539-2
  8. Now with Bill Moyers. PBS.. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  9. Dawkins: Religion equals 'child abuse'. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  10. Who wrote Richard Dawkins's new book?. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  11. Dawkins: Nazi Eugenics "May Not Be Bad"?. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  12. Anti-Religion Extremist Dawkins Advocates Eugenics. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  13. Dawkins and the missionary position. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  14. Science's scourge of believers declares his faith in Darwin". Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  15. Atheists arise: Dawkins spreads the A-word among America's unbelievers. Página visitada em 13 de Abril de 2012.
  16. Leading UK scientist draws fire from Jewish organizations; ADL: his remarks are 'classical anti-Semitism'. Página visitada em 13 de Abril de 2012.

Ligações externas