As primeiras línguas conhecidas são altamente complexas (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (As primeiras línguas conhecidas são altamente complexas (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).

Alegação CG110:

As primeiras línguas humanas conhecidas já eram muito complexas. Os idiomas não mostram uma progressão evolutiva que seria de esperar se os humanos evoluíram de forma gradual.

Fonte:

Skjaerlund, David, n.d. Creationism explains human diversity.


Resposta da CreationWiki:

A redação dada acima pela Talk Origins deturpa o que a fonte realmente diz. A frase mais próxima da redação da alegação é a seguinte:

"A linguagem mais antiga que pode razoavelmente ser reconstruída já é moderna, sofisticada e completa de um ponto de vista evolutivo."

Aliás, é na verdade uma citação do evolucionista George Simpson. (citações da Talk.Origins em azul)

1. As primeiras línguas conhecidas eram escritas línguas (senão elas não seriam conhecidas). Como a maioria das culturas do mundo não tiveram língua escrita, e a maioria das pessoas eram analfabetas até quando a linguagem escrita veio a existir, a linguagem escrita é uma métrica pobre para se usar para medir a linguagem em geral. O idioma vinha desenvolvendo por um período indeterminado de tempo até que a linguagem escrita evoluiu.

Isto não altera o fato de que não existe qualquer evidência de um desenvolvimento gradual. Além disso, alguns idiomas antigos falados foram preservados. Hebraico e grego são bons exemplos.

A afirmação, de que a linguagem vinha se desenvolvendo por um período indeterminado de tempo antes que a linguagem escrita evoluiu, é por si só uma suposição baseada na filosofia da evolução. Não é um fato documentado.

2. A mais antiga escrita conhecida é mais simples do que os idiomas escritos hoje. Há precursores muito simples, não lingüísticos (sem gramática) à escrita cuneiforme.

Esta não constitui uma linguagem razoavelmente reconstruída.