As mariposas escuras nunca substituíram completamente as claras em Manchester (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (As mariposas escuras nunca substituíram completamente as claras em Manchester (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).


Alegação CB601.2.1:

As traças melânicas nunca completamente substituíram as não melânicas em áreas altamente poluídas, como Manchester. Isto é incompatível com a teoria de que a predação visual seletiva era responsável por seu aumento em números.

Fonte:

Resposta da CreationWiki:

É necessário notar que a história tradicional das mariposas salpicadas de nenhuma forma é uma ameaça para a ciência da criação. Não somente as mariposas salpicadas permanecem traças, mas nem sequer isto representa uma mudança no pool genético da mariposa, mas apenas uma mudança temporária nas populações. O fato de que os evolucionistas consideram mesmo isto uma evidência da evolução é um sinal de desespero.

(citações da Talk.Origins em azul)

1. Outros fatores além da seleção visual afetam freqüências. Esses outros fatores, especialmente a migração, explicam a freqüência de mariposas de cor clara em áreas industriais altamente poluídas.

Este é exatamente o ponto que Wells estava a fazer.

2. Manchester é uma escolha particularmente pobre de localização para se referenciar como evidência para a reivindicação. Os dados publicados apenas sobre o número de mariposas coletados em Manchester entre o início do século 20 e meados dos anos 1960 são os de Michaelis, publicados pela primeira vez por Kettlewell. Nenhuma das 760 mariposas coletadas por Michaelis entre 1952 e 1964 eram da variedade clara típica.

Tudo isso mostra é que Wells estava usando todos os dados que tinha e não apenas aqueles que apoiavam uma visão particular.