A biologia pode razoavelmente ser ensinada sem evolução (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (A biologia pode razoavelmente ser ensinada sem evolução (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).


Alegação CA042:

A evolução não precisa ser ensinada nas aulas de ciências. As partes importantes da biologia, como a forma como os organismos funcionam, como eles são classificados e como eles interagem uns com os outros, não dependem da evolução.

Fonte: Nenhuma fonte fornecida.


Resposta da CreationWiki:

(citações da Talk.Origins em azul)

Biologia sem evolução é história natural, não biologia.

Pergunta-se o que o autor quer dizer com isso, se como "história natural" se referiria à "história" da natureza, isto é, a evolução!

Há uma grande quantidade de informações importantes na história natural que deve ser ensinada, mas a evolução é a idéia unificadora que une tudo, permitindo não apenas conhecer os fatos, mas compreendê-los e saber de onde os fatos vêm. Ensinar a biologia sem evolução seria como ensinar química sem a tabela periódica dos elementos.

A Biologia é simplesmente o estudo de organismos vivos. Tem muito pouca bagagem filosófica, pretende ser baseada em evidência observacional, e não tem que incluir muita história. A teoria da evolução e da ancestralidade comum é uma teoria naturalista de que todas as criaturas biológicas vivas descendem de um ancestral comum. Não é biologia, mas uma visão filosófica que pode-se ter sobre a biologia.

A Biologia foi feita, antes da teoria da evolução ter tomado conta da sociedade, por aqueles que não aceitam essa teoria, e continua a ser feita por cientistas que rejeitam a teoria da evolução biológica. O fato de que há biólogos que entendem a biologia, embora não aceitem os principais princípios da evolução biológica, é evidência de que você não precisa da evolução para dar sentido ao mundo natural.

Este ponto mostra apenas uma glorificação excessiva da teoria de Darwin que a toma como um fato ao invés de uma crença. Na verdade, a posição de Dobzhansky sobre esta teoria, sua máxima que "A evolução é a luz para a qual todos os fatos devem vir", e a afirmação da Talk Origins sobre ela ser uma "idéia unificadora que une tudo" mostram que a evolução é mais de uma visão de mundo filosoficamente naturalista. Ao defendê-la como fato mostra que perdeu seu status de infalsibilidade para essas pessoas e não é mais ciência, mas mais semelhante a um dogma religioso.

O autor deste ponto da Talk Origins mostra sua arrogância fazendo-a parecer como se a evolução mostrasse de onde os fatos vêm, quando na verdade é somente uma versão de onde os fatos vêm, baseados não na observação direta, mas em inferências de fé sobre um passado incognoscível.

A comparação entre biologia, química, evolução e tabela periódica é injusta. A tabela periódica de química baseia-se na experimentação científica e observação direta dentro da experiência humana. Testes podem ser feitos agora que podem mostrar a composição dos elementos e sua colocação em uma tabela ordenada. Enquanto a teoria da evolução biológica é baseada em um ponto de fé não testável, o naturalista, usada para interpretar evidências circunstanciais sobre um passado que está além da observação direta. A teoria da evolução não pode ser observada, mas apenas inferida a partir dessa premissa filosófica ou fé religiosa. A teoria tem muitos problemas fundamentais, carece de mecanismos convincentes e nunca pode ser devidamente verificada porque a grande maioria dos supostos acontecimentos aconteceu no passado não observado e não observável.

Para simplificar isso: os fatos que a tabela periódica mantém são diretamente observáveis e testáveis; A teoria da evolução é fundamentalmente inobservável e só tem previsões que são testáveis, mas se baseia mais na inferência baseada em filosofia do que testes reais.


Para citar um escritor anônimo para a TalkOrigins.org (feedback de 15 de junho de 2003): A evolução importa porque a ciência é importante, e muitas pessoas (incluindo alguns presidentes) estão dispostas a acreditar que a ciência é algo que você pode escolher e escolher, com a ciência "boa" sendo qualquer coisa que suporte suas próprias visões e a ciência "ruim" não. Os físicos são grandes caras porque não dizem nada para nos ofender, os biólogos são cientistas loucos que nos conduzem ao caminho da perdição com sua intromissão genética, os evolucionistas são tolos auto-ilusórios e qualquer estudante de ciência ambiental é um extremista esquerdista, O único objetivo é destruir a economia americana e nos levar a um governo mundial. Se os cientistas em uma determinada disciplina discutem sobre qualquer conclusão, quem diz que o que você quer ouvir é o certo. Muitas pessoas não podem aceitar que, embora os cientistas não sejam perfeitos, e cometam erros (às vezes grandes enganos), a ciência não é algo que você pode escolher como num buffet, aceitando apenas o que é do seu "gosto" e designar o resto como não comestível. Se as pessoas se sentem livres para rejeitar a ciência da evolução, sentem-se livres para rejeitar qualquer ciência sem fundamentos melhores. Se meus alunos aceitam a evolução pode ter pouco efeito direto no meu futuro. Se eles compreendem a biologia, a ecologia, a geologia ambiental (a água é um grande problema na minha comunidade) e outros assuntos e podem tomar decisões informadas sobre questões científicas importa. Se eles se sentem livres para rejeitar a evolução como parte de uma abordagem de "buffet" com a ciência, suas outras escolhas não estarão melhor informadas.

A forte suposição que vem através desta passagem é esta:

"A evolução é ciência, e se você não aceitar a evolução você será menos informado, pois o resto da ciência será pegar e escolher."

Ele também parece estar insinuando que, enquanto os evolucionistas são simplesmente honestos e apenas vão para qualquer que seja o que a "verdade" tem para oferecer, aqueles que a rejeitam estão apenas buscando e escolhendo o que eles gostam, e rejeitando o que eles não gostam. Ambos esses raciocínios são imprecisos, desonestos, e simplesmente insultuosos.

A evolução não é mais científica do que a ciência da criação. Em ambas você faz observações no presente, olha para as observações que outros fizeram e, em seguida, com base em sua própria estrutura e suposições fundamentais, e testando as partes falsificáveis de cada modelo, você chega a conclusões. A revisão desta pessoa da "ciência da evolução" pareceria precisar de ajuda para determinar o poder de suposições e filosofias entre os cientistas e seus esforços.

Além disso, uma quantidade significativa de pessoas rejeitam a evolução, não porque rejeitam a ciência, mas vêem os buracos nela e sua estrutura e implicações religiosas e filosóficas, e sua própria estrutura, provavelmente não-naturalista na filosofia, é suficientemente adequada para manipular as observações e evidências no mundo. Eles estão rejeitando a evolução porque eles são informados e estão fazendo uma escolha informada para rejeitá-la.

Além disso, o caminho da ciência não deveria ser considerar as teorias como um fato. Eles devem ser mantidos como hesitantes, duvidosos, e não como um fato abrangente todo-explicativo. Isso é uma religião, não uma ciência. Você pode escolher saber sobre evolução, mas você não tem que aceitá-la como verdade absoluta, que a ciência não pode mostrar de qualquer maneira, especialmente quando se trata de distantes éons sobre os quais a evolução fala. Um fato é suposto ser uma ocorrência real. Mas não sabemos cientificamente o que realmente aconteceu no passado distante que nenhum ser humano experimentou. Assim, a evolução é, na melhor das hipóteses, uma hipótese, uma suposição, ou uma esticada, que algumas pessoas acreditam ter provas suficientes para ela. Mas isso não significa que sejam "eventos reais" que estão além do conhecimento humano. Se há uma coisa que é constante na ciência e na vida humana, é a mudança e o fato de que não sabemos tudo. É preciso apenas um fator desconhecido para trocar um "fato científico" por sua refutação, e não temos idéia sobre fatores desconhecidos no passado.

Para concluir, vou dar dois pontos:

1) Uma vez que não sabemos e não temos todas as evidências, é uma loucura perigosa se agarrar a uma poderosa extrapolação e esticar os fatos, como a teoria da evolução, e chamá-la de fato. Você tem uma escolha. Você não precisa ser forçado a mantê-la como verdadeira quando fala de coisas além de nossa observação. A ciência é supostamente tentativa e não dogmática. Esta é uma razão para desconfiar da natureza dogmática daqueles que forçam a barra pela teoria da evolução. A biologia pode ser entendida sem a teoria da evolução.

2) Uma citação informativa de Jonathan Wells:

"Por que os padrões de 1995 devem ser modificados? A proposta do Comitê foi um produto dos recentes esforços nacionais de pessoas que acreditam que a evolução darwiniana é indispensável para a ciência biológica. Um grito de guerra para esses esforços é a famosa máxima de Teodosio Dobzhansky: "Nada na biologia faz sentido exceto à luz da evolução". Mas Dobzhansky estava enganado. Há áreas inteiras de biologia que não precisam de teoria evolucionária, e há evidências de que as afirmações mais abrangentes do darwinismo estão erradas. Mais importante, não pode haver tal coisa como uma teoria indispensável na ciência. Um verdadeiro cientista diria que nada em biologia faz sentido, exceto à luz da evidência." Jonathan Wells sobre a questão da origem do Kansas

A evidência não apontar inequivocamente para a teoria da evolução, razão pela qual há disputa. Uma vez que não faz, não é sensato se colocar teus ovos na mesma cesta cientificamente. Você precisa de outras razões, além da ciência, para fazer algo factual em sua vida.

Recursos:

  1. Is Evolution a "Fact" of Science?
  2. What is Science?
  3. Jonathan Wells on the Kansas Origins Issue
  4. Can creationists be scientists?