O Gênesis deve ser literal; escritores posteriores se referem a ele como um fato (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (O Gênesis deve ser literal; escritores posteriores se referem a ele como um fato (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).

Alegação CH102.2:

O Gênesis deve ser literal porque os escritores posteriores se referem a ele como um fato.

Fonte: Morris, Henry M., 1974. Scientific Creationism, Arkansas: Master Books, pp. 244-247.


CreationWiki response: (citações da Talk.Origins em azul)

1. Referir-se a algo como um fato, não significa que é verdade. Escritores costumam usar metáforas. Tenho visto muitas vezes escritores referirem-se a história de homens cegos descrevendo um elefante como se fosse verdade, por exemplo, embora seja uma história de ficção.

2. Mesmo que os escritores posteriores tivessem pensado que o que eles estavam se referindo era verdade, pode não ter sido. As pessoas confundem o folclore do fato o tempo todo.

Estas duas respostas da Talk.Origins assumem que o Gênesis não é histórico. Eles também assumem que a Bíblia não é a Palavra de Deus. Se a Bíblia é a Palavra de Deus, então, a maneira como os livros posteriores da Bíblia referem-se ao Genesis é importante. Dado que os livros posteriores da Bíblia se referem ao Gênesis como verdade, se alguém realmente acredita que a Bíblia é a Palavra de Deus, tomar o Genesis literalmente é apenas a posição logicamente consistente. Esta alegação é voltada para aqueles que acreditam que a Bíblia é a Palavra de Deus, não escarnecedores incrédulos, como os da Talk.Origins.