Ajuste fino cósmico

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Galáxia Espiral Barrada NGC 1300

Ajuste fino cósmico ou sintonia fina cósmica é a evidência de que cada pequeno aspecto da vida é perfeitamente colocado de forma a sustentar a vida. Se alterado até mesmo pela menor quantidade, a vida não seria capaz de existir. Como algo tão específico aconteceu por acaso? Há multidões de exemplos de coisas tão bem afinadas, de tal modo que, se mesmo um único elemento fosse diferente, a vida não poderia existir.

Números matemáticos sustentam o tecido do nosso universo - não apenas átomos, mas galáxias, estrelas e pessoas. As propriedades dos átomos - seus tamanhos e massas, quantos tipos diferentes existem, e as forças que os mantém ligados - determinam a química do nosso mundo cotidiano. A própria existência dos átomos depende de forças e partículas dentro deles. Os objetos que os astrônomos estudam - planetas, estrelas e galáxias - são controlados pela força da gravidade. E tudo acontece na arena de um universo em expansão, cujas propriedades foram impressas na época do Big Bang inicial..[1]

Para dar um exemplo, o número 1,000,000,000,000,000,000,000,000,000,000,000,000, é a medida da força das forças elétricas que unem os átomos dividida pela força de gravidade entre eles. Se este número fosse menor por apenas alguns zeros haveria um universo e criaturas vastamente menores em tamanho, e nenhum tempo para a evolução biológica acontecer.[2] A requintada sintonia fina matemática desse tipo tem impressionado os físicos, cosmólogos e astrofísicos sobre a aparente impossibilidade do universo ser hospitaleiro para a existência humana por puro acaso, mesmo dentro de um conjunto multiverso especulativo. (Ver: Design inteligente)

O argumento para a existência de Deus a partir do ajuste fino do universo, afirma:

  1. O ajuste fino do universo é devido à necessidade física, ao acaso ou ao design.
  2. Não é devido a necessidade física ou à chance.
  3. Portanto, é devido ao design.[3]

Gravidade

A gravidade está na força perfeita para sustentar a vida; se mudada, faria com que os seres vivos fossem incapazes de sobreviver na terra.

Se a força da gravidade fosse enfraquecida ou fortalecida por qualquer pequena quantidade, a vida deixaria de existir. Com uma gravidade mais fraca, as coisas voariam separadas. Nós também não poderíamos estar no planeta e todos estariam flutuando. A chuva não seria capaz de cair e os gases no planeta voariam para o espaço.

Uma gravidade mais forte afetaria o tamanho das criaturas vivas. Todas as coisas vivas foram criadas do jeito que são para suportar a força da gravidade. Se a gravidade fosse mais forte até mesmo um pouquinho, nada de vivo seria capaz de resistir. O resto de tudo estaria fora do jogo. Se a gravidade fosse mais forte, a quantidade de átomos necessária para formar um planeta seria consideravelmente menor, porque a gravidade dominaria as forças nucleares eletromagnéticas, nucleares fortes e fracas. Os planetas, por sua vez, seriam menores e as órbitas seriam completamente diferentes, alterando o equilíbrio de todo o universo. As estrelas seriam significativamente menores também, o que significa que elas poderiam potencialmente queimar mais cedo; elas emitiriam mais calor, e o sol queimaria muito antes da evolução orgânica terminar. A força da gravidade é muito essencial para a vida.[4]

Carbono

Muitos elementos na Terra são abundantes, devido à sua massa leve. Alguns dos elementos são: hidrogênio, hélio e lítio. O carbono, contudo, é um elemento mais pesado, o que significa que não é tão abundante. A existência de carbono depende do equilíbrio de forças fortes e fracas. Se as forças fossem aumentadas ou reduzidas em até 1%, o carbono não existiria no universo. O carbono é muito importante e crucial para a vida e sem isso nós deixaríamos de existir.[5]

Relação de massa protón-para-elétron

diagrama da relação de massa protón-para-elétron

A massa de nêutrons é mais pesada que os elétrons e a massa de prótons combinados. Não muito, mas o suficiente para realmente fazer a diferença. Se a massa dos nêutrons fosse maior ou menor até mesmo pelo menor percentual, o átomo como o conhecemos não funcionaria. Uma massa mais alta significaria que o elemento não poderia decair sem a entrada de energia. Uma massa menor significaria que os prótons poderiam decair, e átomos pesados não seriam capazes de se formar.

O sol e a lua

O sol está à distância perfeita da Terra para nos manter aquecidos, sem causar danos extremos ao nosso planeta. Se o sol estivesse mais perto da Terra por alguns milhões de milhas, as geleiras do planeta se derreteriam. Isso diminuiria a área da superfície coberta por gelo e aumentaria a área coberta pela água. Ambos os efeitos fazem com que a terra absorva mais calor do sol em vez de refleti-lo.[6] Da mesma forma, se o sol estivesse mais distante, o planeta congelaria e se tornaria inabitável. A mesma ideia se aplica à lua. Se a lua estivesse mais perto da terra, ou de qualquer outra, ela puxaria as marés ao longo da terra, arruinando os campos e fazendo com que os oceanos ocupassem mais de 90% da Terra.

Condições da Terra

A Terra tem uma rotação perfeita, girando a cada 24 horas. Isso mantém a terra uniformemente aquecida e nos dá noite e dia para que possamos descansar. Se ela girasse mais rápido, todos nós congelaríamos e se girasse mais devagar, queimaríamos até a morte. As condições estão na medida. A atmosfera da nossa Terra ajuda a nos manter seguros, filtrando os raios ultravioletas nocivos e queimando meteoros antes que eles possam nos alcançar. Se a atmosfera fosse fina, essas coisas não seriam possíveis. O oxigênio compõe 21% do ar que respiramos. Com uma quantidade menor, não poderíamos respirar e, com uma quantidade maior, as coisas pegariam fogo constantemente e os metais enferrujariam facilmente. A água também é muito importante. Precisamos disso para viver e só está disponível na terra. Há uma relação perfeita, nos dando terra e água. A água mantém a terra, plantas, animais e nós vivos.[7]

Pensamentos de cientistas famosos

Isaac Newton
O ajuste fino surpreendente ocorre nas leis que tornam isso [a complexidade] possível. A compreensão da complexidade do que é realizado torna muito difícil não usar a palavra "milagrosa" sem tomar uma posição quanto ao status ontológico da palavra. -George Ellis[8]
Acho difícil entender um cientista que não reconhece a presença de uma racionalidade superior por trás da existência do universo, como é compreender um teólogo que negaria os avanços da ciência. -Wernher von Braun[9]
À medida que examinamos todas as evidências, surge insistentemente o pensamento de que alguma agência sobrenatural - ou melhor, Agência - deve estar envolvida. É possível que, de repente, sem pretendermos, tenhamos encontrado provas científicas da existência de um Ser Supremo? Foi Deus quem entrou em cena e providencialmente elaborou o cosmos para nosso benefício? -George Greenstein[10]
O ateísmo é tão sem sentido. Quando olho para o sistema solar, vejo a terra à distância correta do sol para receber as quantidades adequadas de calor e luz. Isso não aconteceu por acaso. -Isaac Newton

Video

All about cosmic fine tuning.

Rob Bell - Tudo é Espiritual


Referências

  1. Rees, Martin, Just Six Numbers: The Deep Forces That Shape The Universe, (Basic Books, 2000). Primeira edição americana, página 1.
  2. Rees, Martin, Just Six Numbers: The Deep Forces That Shape The Universe, (Basic Books, 2000). First American edition, página 2.
  3. Bruce L. Gordon e William A. Dembski, The Nature of Nature: Examining the Role of Naturalism in Science (Intercollegiate Studies Institute, 2011), página 909
  4. Couchman, David. A força da força da gravidade como um exemplo de ajuste fino cósmico God: new evidence. Acessado em 11 de janeiro de 2015.
  5. Borwein, Jonathan. When science and philosophy collide in a 'fine-tuned' universe phys.org. Acessado em 11 de janeiro de 2016.
  6. Nevins, Stuart (1974). Planet Earth: Plan or Accident?. Institute for Creation Research. Página visitada em 16 de março de 2016.
  7. Perloff, James. Tornado in a junkyard. Livro. Publicação 1 de julho de 1999.
  8. Rich Deem, Quotes from Scientists Regarding Design of the Universe, Acesso em 17 de junho de 2017. [1]
  9. Rich Deem, Quotes from Scientists Regarding Design of the Universe, Acesso em 17 de junho de 2017. [2]
  10. Rich Deem, Quotes from Scientists Regarding Design of the Universe, Acesso em 17 de junho de 2017. [3]