Trifosfato de adenosina

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
(Redireccionado de ATP)
Trifosfato de adenosina
Trifosfato de adenosina
Nome sistemático Trifosfato de adenosina
Fórmula química C10H16N5O13P3
Massa molecular Molar mass::507.2 g/mol
Número CAS CAS number::15-4-22
Aviso Legal e referências

O trifosfato de adenosina (ATP) é uma forma de moeda corrente de energia complexa fundamental para toda a vida usada para que uma grande variedade de reações químicas possam ocorrer nas células. [1] O ATP transfere energia a partir de ligações químicas para reações de absorção de energia na célula. Este nucleotídeo multifuncional, consiste de um nucleosídeo adenosina juntamente com três fosfatos ligados.

O ATP, mais especificamente, tem a função de conversão de ligações covalentes de baixa energia a partir dos nutrientes que nós comemos em ligações de alta energia, a fim de que ocorram a maioria das reações biológicas. As ligações de baixa energia não são muito úteis para os processos biológicos, enquanto que as ligações de alta energia que liberam energia quando o ATP vai para o ADP são as adequadas para executar os mecanismos biológicos. Na célula, o ATP, ou uma molécula semelhante (GTP, o trifosfato de guanosina) fornece energia sempre que um dos seus três fosfatos são clivados durante uma reacção conhecida como "hidrólise".[2] Todos os organismos conhecidos usam ATP para alimentar as suas células, o que evita a necessidade de cada célula tenha uma fonte de alimentação especial para cada atividade diferente.

A célula produz ATP a partir de glicose por um processo conhecido como glicólise.[2] O fornecimento de ATP deve ser estável, porque a sua falta mataria um organismo em questão de minutos. Venenos como cianeto matam rapidamente bloqueando o processamento de ATP de acordo com Bergman [3] Bergman cita referências de que um bilhão de moléculas de ATP em cada célula são cada recarregadas cerca de três vezes por minuto para manter a atividade celular. Ele observa que um corpo humano contém apenas cerca de 50 gramas de ATP, mas se não fosse continuamente recarregado seria preciso 400 libras de ATP para manter a actividade durante um dia a uma taxa de 2.500 calorias por 24 horas.

O menor motor do mundo, a ATP sintase, gera ATP em células eucarióticas.

O ATP pode ser importante como um indicador de saúde da célula. A Instituição Fraunhofer Research Institution for Modular Solid State Technologies (EMFT) em Munique, Alemanha, desenvolveu nanopartículas que carregam moldes fluorescentes que reagem quando o ATP está presente. As nanopartículas podem atravessar as membranas celulares facilmente, e quando as células são examinadas por um microscópio de fluorescência, as nanopartículas indicam a presença de ATP. Por exemplo, se as células cancerosas estão sendo testadas, aquelas que estão danificadas por um determinado produto químico só irão mostrar o corante base vermelho, enquanto células saudáveis mostrarão o verde ou o amarelo porque elas estão produzindo muito mais ATP.[4]

Ver também

Referências

  1. Alberts, Bruce; Johnson, Alexander; Lewis, Julian; Raff, Martin; Roberts, Keith; Walter, Peter. Biologia Molecular da Célula. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 80-81 p. ISBN 978-85-363-2066-3
  2. 2,0 2,1 Meyer, Stephen C. Signature in the Cell: DNA and the Evidence for Intelligent Design (em inglês). New York: HarperCollins, 2009. 131 p. ISBN 978-0-06-147278-7
  3. ATP: The Perfect Energy Currency for the Cell by Jerry Bergman, CRSQ Vol 36(1) June, 1999.
  4. Fewer Animal Experiments Thanks to Nanosensors, Research News Jan 02, 2012, Acessado em 13 de Janeiro de 2012.