Brasil

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
{{#set:Name=Brasil}}
Nome extenso convencional::República Federativa do Brasil
Brasil
Image of Brasil

Mapa do Brasil

Bandeira do(a) Brasil do(a) Brasil
Bandeira Escudo de armas
Lema: Ordem e Progresso
Hino: Hino Nacional Brasileiro
Capital Capital::Brasília, DF
{{#show:Brasília, DF|?Coordinates}}
Línguas oficiais Português
Gentílico Brasileiro(a)
Govêrno Government type::República constitucional federal
 - Presidente Presidente::Dilma Rousseff (PT)
 - Vice Presidente Vice Presidente::Michel Temer (PMDB)
 - Presidente da Câmara dos Deputados Presidente da Câmara dos Deputados::Marco Maia (PT)
 - Presidente do Senado Presidente do Senado::José Sarney (PMDB)
 - Presidente do Supremo Tribunal Federal Presidente do Supremo Tribunal Federal::Cezar Peluso
Independência do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves
Independência Independência::7 de Setembro de 1822
Reconhecido Reconhecido::29 de Agosto de 1825
Constituição atual Constituição atual::5 de Outubro de 1988
Area
 - Total Country area::8,514,877 km² (Area rank::5º)
[[Country area::{{{area_sq_mi}}} sq mi]]
 - Água Water area proportion::0.65 %
População
 - Estimated population as of::2011 estimada Population estimate::192,376,496
 - Densidade Population density::22 km⁻² (Population density rank::182º)
Moeda Moeda::Real (Simbolo moeda::R$) (Codigo moeda::BRL)
Internet TLD Internet TLD::.br
Calling code +Calling code::+55

Brasil, oficialmente República Federativa do Brasil, é o maior país da América do Sul. Ele é o quinto maior país do mundo, tanto por área geográfica quanto pela população com mais de 192 milhões de habitantes. É o único país de língua portuguesa das Américas e o maior país lusófono do mundo.

História

Após mais de três séculos sob domínio português, o Brasil conquistou sua independência em 1822, mantendo um sistema monárquico de governo até a abolição da escravatura em 1888 e a posterior proclamação de uma República pelos militares em 1889. Exportadores brasileiros de café dominaram politicamente o país até que o líder populista Getúlio Vargas subiu ao poder em 1930. De longe o maior e mais populoso país da América do Sul, Brasil passou por mais de meio século de governo populista e militar até 1985, quando o regime militar pacificamente cedeu o poder aos governantes civis. O Brasil continua a perseguir o crescimento industrial e agrícola e o desenvolvimento de seu interior. Explorando vastos recursos naturais e uma grande força de trabalho, ele é hoje a principal potência econômica da América do Sul e um líder regional, um dos primeiros na área a iniciar uma recuperação econômica. A distribuição de renda altamente desigual e altas taxas de criminalidade permanecem problemas prementes.[1]

Religião

Estátua do Cristo Redentor com vista para o Rio de Janeiro. O monumento, que é de 38 m (120 pés) de altura e fica no Morro do Corcovado, é feito de concreto armado e pedra sabão. Construída ao longo de um período de nove anos, a escultura foi inaugurada em 1931. Em 2007, foi nomeada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo.[1]
  • Católicos romanos (Nominal) 73,6 %
  • Protestantes 15,4 %
  • Espiritualistas 1,3%
  • Bantu/voodoo 0,3 %
  • outros 1,8 %
  • não especificados 0,2 %
  • nenhum 7,4% (censo de 2000)[1]

Organizações criacionistas

Nome Sede Alcance Ponto de vista criacionista Instalações
Sociedade Criacionista Brasileira Brasília Nacional Terra jovem Centro cultural da SCB

Economia

Caracterizado pelos setores agrícola, mineração, manufatura e serviços grandes e bem desenvolvidos, a economia do Brasil ultrapassa a de todos os outros países da América do Sul, e o Brasil está expandindo sua presença nos mercados mundiais. Desde 2003, o Brasil tem melhorado a sua estabilidade macroeconômica, criando reservas cambiais e reduzindo seu perfil de endividamento. Em 2008, o Brasil se tornou credor externo líquido e duas agências de classificação concederam o status de grau de investimento para sua dívida. Após um forte crescimento em 2007 e 2008, o início da crise financeira global atingiu o Brasil em 2008. Brasil experimentou dois trimestres de recessão, a medida que a demanda global por commodities baseadas em exportações brasileiras encolheu e o crédito externo secou. No entanto, o Brasil foi um dos primeiros mercados emergentes a começar uma recuperação. Em 2010, a confiança dos consumidores e investidores reviveu e o crescimento do PIB atingiu 7,5%, a maior taxa de crescimento nos últimos 25 anos. O aumento da inflação levou as autoridades a tomar medidas para esfriar a economia; essas ações e a deterioração da situação econômica internacional retardaram o crescimento para 2,7% para 2011 como um todo, embora as previsões para 2012 são de crescimento um pouco maior. Apesar de um crescimento mais lento em 2011, o Brasil ultrapassou o Reino Unido como a sétima maior economia do mundo em termos de PIB. O desemprego urbano está no mínimo histórico de 4,7% (dezembro 2011), e o nível tradicionalmente elevado do Brasil de igualdade de rendimentos diminuiu para cada um dos últimos 12 anos. As altas taxas de juros do Brasil fazem dele um destino atraente para os investidores estrangeiros. Grandes influxos de capital ao longo dos últimos anos têm contribuído para a valorização da moeda, prejudicando a competitividade da indústria brasileira e levando o governo a intervir em mercados de intercâmbios estrangeiros e aumentar os impostos sobre alguns fluxos de capital estrangeiro. A presidenta Dilma Rousseff tem mantido o compromisso da administração anterior de metas de inflação pelo banco central, uma taxa de câmbio flutuante e austeridade fiscal.[1]

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 U.S. Central Intelligence Agency. Brazil. World Factbook. Página visitada em 28 de Julho de 2012.

Ligações externas