O australopiteco era totalmente macaco, mais perto do chimpanzé (Talk.Origins)

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.
Talkorigins.jpg
Artigo Resposta
Este artigo (O australopiteco era totalmente macaco, mais perto do chimpanzé (Talk.Origins)) é uma resposta a uma réplica de uma reivindicação criacionista publicada pelo Talk.Origins Archive sob o título Index to Creationist Claims (Índice de Reivindicações Criacionistas).


Alegação CC080:

Australopithecus era totalmente macaco, mais perto do chimpanzé. Anatomistas de renome mundial e evolucionistas Solly Zuckerman e Charles Oxnard têm mostrado que o Australopithecus não andava ereto de maneira humana.

Fonte:


Resposta da CreationWiki: (citações da Talk.Origins em azul)

1. Ambos Australopithecus africanus e robustus são muito mais humanóides que simiescos. O A. afarensis cai em algum lugar entre o humano e o símio, talvez mais para o lado de macaco. A. ramidus é ainda mais simiesco. As alegações de que o africanus e o robustus são totalmente macacos são baseadas em relatos antigos e desacreditados de apenas um par de artigos. Oxnard mesmo considerava o Australopithecus ser um ancestral humano (Groves 1999). A imensamente maior evidência de que essas espécies são totalmente bípedes e tinha outros traços humanóides é ignorada, distorcida ou descartadas sem fundamentos pelos criacionistas (Foley 1997).

A crítica da Talk.origins aqui é um ataque em três frentes.

  1. Que os criacionistas se baseiam em uns poucos artigos velhos e desacreditados.
  2. Que o Australopithecus era totalmente bípede.
  3. Que certas características dos australopitecíneos—principalmente os dentes—eram semelhantes à humana.

1. Enquanto os artigos de 1970 de Charles Oxnard e de 1975 de Solly Zuckerman são frequentemente citados, há estudos mais recentes de 1994 e 2000 que oferecem suporte a essas conclusões. O que é realmente necessário é o acesso aos crânios em questão, mas o que é quase impossível, mesmo para a maioria dos evolucionistas.

2. Mesmo que os australopitecíneos fossem totalmente bípedes, isto não os tornaria menos macacos. Se o Sasquatch (Pé Grande) ou o Yeti fossem provados ser um Gigantopithecus vivo, logo o Gigantopithecus seria um exemplo de um macaco totalmente bípede. Além disso, precisa ser notado que os macacos modernos, por vezes, andam eretos de uma maneira chamada de bipedalismo facultativo.

Dito isto, há evidências sugerindo que australopitecos eram macacos tinham uma forma de locomoção nodopedalia. Um estudo de 1994 [1] mostrou que o ouvido interno do Australopithecus era consistente com a de bipedalismo facultativo, nodopedalia, e escalada arbórea de macacos. Ele também contrastou-los com o bipedalismo obrigatório dos seres humanos chamados Homo erectus. Evidências mais recentes mostram que a anatomia do pulso dos australopitecíneos era a de macacos andando de forma nodopedalia. [2]

3. O Australopithecus afarensis claramente tinha dentes simiescos incluindo caninos bem definidos [3]. O adulto do Australopithecus africanus parece ter perdido os caninos bem definidos e ganho dentes mais como humanos [4], ainda que o A Criança Taung mostra que seus filhos tinham mais dentes parecidos com macacos com caninos bem definidos [5]. A causa mais provável da diferença é que nos adultos os caninos e outros dentes foram gastas por dieta fazendo lhes o olhar mais humano do que realmente são.