Corporealismo

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.

Corporealismo é a visão de que Deus tem uma presença física, tangível e/ou corpo.

Argumento pelo corporealismo

A Bíblia em muitos lugares, implica uma essência física ou a natureza de Deus. Pode ser visto nas seguintes referências bíblicas;

E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim ã tardinha, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me. Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? Genesis 3:8-11

Jeová Elohim fez sons enquanto caminhava pelo jardim e verbalmente Ele chamou Adão e Eva, perguntando onde eles estavam. A fim de fazer essas duas coisas, ele tinha que ter um corpo físico.

Quando Abrão tinha noventa e nove anos, apareceu-lhe o Senhor e lhe disse: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda em minha presença, e sê perfeito; Genesis 17:1

Depois apareceu o Senhor a Abraão junto aos carvalhos de Manre, estando ele sentado ã porta da tenda, no maior calor do dia. Genesis 18:1

Este com certeza é Ele que sendo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus, de que forma de Deus? Claro que ele significa, de alguma forma, não ser nenhum. Pois quem vai negar que Deus é um corpo, embora Deus seja um espírito? (João 4:24). Pois o espírito tem uma substância corporal de sua própria espécie, em sua própria forma. Seja qual for, portanto, foi a substância da Palavra que designei uma pessoa, eu reclamo para ele o nome do Filho; enquanto eu reconheço o Filho, eu afirmo a distinção como segundo para o pai. (Tertuliano)
Tudo o que não é um corpo não é um ser. [1]

Hobbes, em um apêndice a Leviathon, escreve o seguinte em forma de diálogo ficcional para considerar objeções aos seus pontos de vista expressos em Leviathon:

No cap. iv, diretamente após o início [no par. 21], ele nega que as substâncias são incorpóreas. O que mais é isso, a não ser ou negar que Deus existe ou afirmar que Deus é um corpo? Ele afirma, é claro, que Deus é um corpo.

Argumentos contra o corporealismo

Deus não é um ser físico ou material, Deus é espírito. Ele pertence à ordem da mente, que não é para sugerir um cérebro, mas sim é parecida com a alma ou o eu. Os seres humanos mantem uma mente ou alma unida ao corpo, enquanto Deus é sem corpo. A diferença é a infinita auto-consciência em relação à nossa mente finita.

Aqueles que apóiam a incorporealidade de Deus sugerem as manifestações corporais de Deus, como demonstram as passagens anteriores de apoio ao corporealismo, são bastante metafóricas e servem como um artifício literário, a fim de melhor entender a realidade ou a natureza pessoal de Deus. Para levá-las ao pé da letra, teríamos uma visão de Deus intensa, quase animal, se outras passagens fossem levadas em consideração.

Referências

  1. Tertuliano, Sobre a Carne de Cristo, ch. xi.

Ver também