Argumentos contra o criacionismo progressivo

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.

Argumentos contra o criacionismo progressivo são as críticas teológicas e científicas derivadas da exegese bíblica. Eles abordam as principais crenças do criacionismo progressivo (também conhecido como criacionismo dia-era), que são:

  1. Os dias da criação foram extensos e não períodos de tempo literais de 24 horas.
  2. O dilúvio de Noé não foi global, mas sim uma inundação local.
  3. A Terra foi criada há bilhões de anos atrás.
  4. Havia sangue, doença e sofrimento antes de Adão e Eva.
  5. Haviam pré-adamitas que percorriam a Terra - uma raça humana diferente, sem um espírito.

Os dias da criação

Os criacionistas progressivos têm a crença de que os 6 dias da criação em Gênesis 1 ocorreram em vastas eras de tempo. A palavra 'yom' significa 'dia' em Hebraico, mas uma vez que nem sempre tem um limite específico de 24 horas, eles acreditam que podem tomar um significado não-literal de 'yom' em Gênesis 1. No entanto, o significado da palavra dia é esclarecido pelo uso repetitivo pelo autor da frase "tarde e manhã", que clarifica que o período de tempo era equivalente ao dia solar.

O problema mais óbvio com a perspectiva do dia-era é a ordem dos eventos na semana bíblica da criação. Em Gênesis 1, a Bíblia descreve claramente a criação das plantas no dia 3, mas o sol não foi criado até o dia 4. Isto coloca um dilema uma vez que as plantas, obviamente, não podem sobreviver por longos períodos de tempo sem o sol, e a descrição parece fornecer uma prova óbvia de uma criação ao longo de um período muito curto de tempo.

Um tema repetido deste e de outros pontos de vista não-literais é que certas partes do relato são escolhidas a dedo, para provar um ponto estreito, ignorando as outras partes do relato que contradizem o ponto estreito. Assim, uma pessoa que não esteja familiarizada com o relato geral, especialmente designadamente os pormenores, pode ser levado a acreditar que o ponto estreito (por exemplo criacionismo progressivo) é viável. A discussão a seguir irá revelar essa falácia em suas muitas facetas.

Dias da criação 3 e 4

"E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie e árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã: o dia terceiro. E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. E sejam para luminares na expansão dos céus, para alumiar a terra. E assim foi. E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. E Deus os pôs na expansão dos céus para alumiar a terra, e para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã: o dia quarto." Genesis 1:11-19

Dilúvio de Noé foi local

Os criacionistas progressivos acreditam que o dilúvio de Noé era apenas um evento local, porque a população da terra era tão escassa que não estava dispersa ao longo de todo o globo. Em vez disso, eles afirmam sobre aquela teoria de que ela simplesmente não seria necessária se acabar com toda a terra se não houvesse civilização ao redor do globo.

Dr. Ross professa na seguinte afirmação que devido ao fato de que os humanos estavam habitando por todo o mundo, não seria necessário que Deus destruísse esta porção da terra.

Mas aqui estão algumas razões, razões físicas porque, a inundação não pode ser global. A número um é a extensão limitada do pecado. Dado que os seres humanos ainda não tinha civilizado e habitado a Antártida, não haveria necessidade de Deus inundar a Antártica porque não haveria pecado lá na Antártida. Dr. Hugh Ross's Quote

Dr. Ross está "apresentando os fatos não baseados em evidências". Como ele pode saber que não havia seres humanos na Antártida no momento do dilúvio? A evidência sugere que o mundo inteiro tinha um clima temperado, sem extremos, incluindo as condições extremas das calotas polares. o radar de penetração no solo descobriu vastas florestas sob o gelo da Antártida[1].

Algo que o Dr. Ross também não considerou, é que, conforme as águas subiam, criaturas sencientes procurariam terreno elevado, e iriam fazê-lo em busca desesperada pela sobrevivência até mesmo para lugares tão remotos como a Antártica. Se terreno elevado estivesse disponível em qualquer lugar, as pessoas iriam procurá-lo, por isso alguns pecadores iriam sobreviver.

Outra falácia do Dr. Ross é a presunção de que o propósito do dilúvio foi para destruir o pecado. Este não é o caso. A maldade da humanidade foi o resultado de um problema físico maior - a corrupção da carne - exigindo uma solução física maior. Quando Noé saiu da arca, Deus declarou que a imaginação da humanidade é má desde a sua juventude (Gênesis 8:21), por isso, se o propósito do dilúvio era eliminar o pecado, ele falhou.


Dr. Ross poderia dar um golpe fraco ao provar esta declaração como sendo verdadeira--mas se olharmos para o texto original hebraico, a palavra kol é usada, e ela se traduz como significando tudo/todos. O exemplo em nossa língua do uso da línguagem "toda" é encontrado nestas próximas passagens onde Deus está pondo em nossa língua de forma a entendermos hoje que foi um dilúvio global.

"E as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo de todo o céu foram cobertos." - Genesis 7:19

E expirou toda carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado, e de feras, e de todo o réptil que se roja sobre a terra, e de todo homem. Tudo o que tinha fôlego de espírito de vida em seus narizes, tudo o que havia no seco, morreu." - Genesis 7:21-22

Então, por que então teria Noé que precisar construir uma arca? Por que seria necessário que todos os animais fossem para lá? Por que Deus simplesmente não deu instruções para que se reunissem em outro lugar onde a inundação local não ocorreria? Ross afirma que a arca foi a plataforma sobre a qual ele estava a profetizar ao povo sobre o que estava prestes a acontecer. Todo profeta necessita de uma plataforma. (Ok, então por que tão grande?)

Há determinadas passagens que Dr. Ross acredita que "todo o mundo" são usados em uma referência que não significa necessariamente global.

A Terra foi criada há mais de 15 bilhões de anos atrás

Dr. Ross comentários sobre a idade da Terra:

Funciona apenas em um cosmos de uma centena de bilhões de trilhões de estrelas que tem precisamente dezesseis bilhões de anos de idade. Esta é a estreita janela de tempo em que a vida é possível.

Por isso, isto me permite fazer uma paráfrase interessante de João 3:16, se você permitir—Pois Deus tanto amou a raça humana que ele foi para a expensas da construção de uma centena de bilhões de trilhões de estrelas e cuidadosamente moldou e trabalhou elas por dezesseis bilhões de anos, de modo que, neste breve momento no tempo todos nós poderíamos ter um bom lugar para viver.’ (Dallas Theological Seminary Chapel Service, 13 de setembro de 1996). [1]

Não se pode afirmar que "Isto só funciona em um cosmos de cem bilhões de trilhões de estrelas que tem precisamente dezesseis bilhões de anos." Ou "A vida só é possível quando o universo tem entre 12 e 17 bilhões de anos.’ (Toocoa Falls Christian College, Staley Lecture Series, Março de 1997) [2]

Se ele era para garantir a sua fé no cristianismo, ele estaria limitando Deus, o que não pode ser feito porque, como cristãos, acreditamos em Deus ser todo-poderoso. Não podemos colocar limites sobre suas obras. Além disso, a alegação de que "a vida só é possível" em termos de longas idades é uma afirmação evolucionária com base no viés evolucionista, e não uma afirmação científica. Em termos bíblicos, Deus fez a vida e segundo ele não demorou muito de todo.

"Porém quem teria força para lhe edificar uma casa, visto que os céus e até os céus dos céus o não podem conter? E quem sou eu, que lhe edificasse casa, salvo para queimar incenso perante ele?" - 2Cronicas 2:6

Deus é majestoso e não deve ser limitado pelo tempo. Além disso, as afirmações dos cientistas quanto à idade da Terra e cosmos foram fortemente questionadas por provas contraditórias. Deve-se considerar que qualquer determinação da "idade" é sempre um produto da razão humana. A idade não é uma propriedade intrínseca da matéria. É um efeito do tempo, e a partir de hoje, só os humanos são conscientes do tempo o suficiente para se preocupar com o significado de idade. A palavra de Deus em Eclesiastes 3 é uma dissertação sobre o "tempo" e o que significa a Deus, e para a humanidade, e que a humanidade é "consciente" da passagem do tempo, porque Deus colocou essa consciência no coração humano Eclesiastes 3:11 .

Sofrimento Antes de Adão e Eva

Os criacionistas progressivos acreditam que não há nenhuma maneira em torno da morte, doença e derramamento de sangue antes de Adão e Eva terem cometido o pecado original. Mesmo no ambiente mais estável e à prova de idiotas, haveria maneiras de ser arranhado ou cutucado. Os criacionistas progressivos acreditam que nunca é especificado que não havia carne para ser consumida - A eles foram dados erva e vegetação, mas nunca foi descartada a carne. Portanto, havia predadores e presas... Mas vemos em Gênesis 9: 3 que Deus especifica que nesse ponto no tempo, deu-lhes "permissão" para comer mais do que apenas erva.

"Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado, como a erva verde." - Genesis 9:3

Eles acreditam que a morte física não se originou com a queda do homem; só a morte espiritual o fez.

"E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor e a tua conceição; com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos e cardos também te produzirá; e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto, comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado, porquanto és pó e em pó te tornarás." - Genesis 3:16-19

A vida de Adão começou na poeira onde as mãos de Deus o criaram, e Deus estava dizendo, ao pó ele vai voltar quando ele morrer...fisicamente.

Esta visão não considera que Jesus teve que morrer fisicamente, não apenas morrer espiritualmente, para satisfazer a ira de Deus. Quando os criacionistas progressivos falam de "morte espiritual" eles significam uma separação de Deus por causa do pecado. Contudo, a Bíblia afirma que toda a criação está sob a mesma maldição que a humanidade (Romanos 8:22) e que a morte de Cristo é o fundamento da própria criação (Apocalipse 13: 8). Jesus deu a sua vida em resgate por toda a criação, e fez alusão a esse fato na parábola do tesouro (Marcos 13:44), onde um homem compra um campo inteiro para ganhar o tesouro no campo.

Morte

Um ponto-chave é a descrição bíblica da morte, que foi borrada pela descrição científica. Existem vários níveis de seres vivos como descrito nas Escrituras. O naturalista desconta todos, exceto um, porque eles só acreditam no aspecto natural, físico da vida, e não nos aspectos sobrenaturais. Em resumo, a Bíblia descreve os menores seres vivos, como plantas com a vida "chay", o processo de vida básico. Para os animais que respiram, tais como aqueles especificamente designados para a preservação no Dilúvio , tem a vida "ruwach". O ser humano tem um outro nível chamado "neshamah" em Hebraico e "pneuma" em Grego. Este aspecto não-físico do ser humano é a vida, a alma eterna que Deus soprou no primeiro Adão humano.

Um aspecto importante de tudo isso, é que a vida da carne está no sangue (Gn 9: 4). Animais de veiculação sanguínea carregam a vida bíblica. Como tal, somente animais de veiculação sanguínea de fato "morrem". Há até mesmo a terminologia separada para plantas, elas "murcham" ou "desvanecem" (Isaías 40: 7-8), mas não se alega que morrem. Nem são os insetos ou aranhas etc. imbuídos de vida bíblica.

A este respeito, se Deus quis dar a Adão um bom exemplo de "vós certamente morrerão" tudo o que ele tinha a fazer era pisar em um inseto e esmagá-lo. O inseto não "morre" em termos bíblicos porque não tem sangue (o sangue da aranha não tem hemoglobina para afetar a respiração celular - não conduz a vida da criatura).

Por fim, o Novo Testamento faz afirmações diretas sobre a ligação de Adão até a crucificação, o pecado e a morte.

"Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram." - Romanos 5:12

Vemos no verso acima que o pecado precedeu a morte, que passou para todos os homens. A palavra grega para "morte" neste versículo é "thanatos", que significa morte física.

"Porque, assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo." - 1Corintios 15:21-22

Vemos no verso acima que a morte (thanatos- morte física) veio após a chegada da humanidade, e foi causada pelo homem, e coloca essa responsabilidade diretamente sobre os ombros de Adão por isso não há dúvida quanto ao significado, referência ou as entidades envolvidas.

As implicações desta mensagem são profundas. Se, como cristãos, presumimos que a morte veio antes da humanidade, então a morte não está ligada ao pecado em tudo. Se isso for verdade, por que Jesus teve que morrer fisicamente para o pecado? Por que Deus exige sangue de Cristo para expiar o pecado? Ao remover a conexão entre o pecado ea morte, isso prejudica a cruz de Jesus Cristo.

Quando Deus encontrou Adão e Eva depois de terem pecado, ele tinha lhes prometido que "vós certamente morrerão". E uma vez que eles não morreram fisicamente, alguns são levados a acreditar que Deus quis dizer outra coisa, como "morte espiritual". No entanto, em essa confrontação Deus os cobriu com casacos de peles, o que significa que ele tinham que matar animais, a fim de fazer isso. Podemos presumir que Deus instituiu a morte sacrificial, ou morte substitutiva para Adão e Eva dessa maneira, porque no próximo capítulo vemos Caim e Abel oferecendo sacrifícios rituais. Mais tarde lemos que o sacrifício de Abel foi mais aceitável (Hb 11: 4). Isto porque Abel ofereceu um sacrifício de sangue de um animal, e só o sangue pode oferecer remissão de pecado (Hb 9:22).

Podemos ver agora que desde que Jesus é o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Ap 13: 8) que a morte de Jesus é parte da arquitetura mestre da Criação, e que a morte substitutiva através do sangue, ao longo de muitos milênios, seria o prenúncio do sacrifício de Cristo de si mesmo. Qualquer um que faltar este tema provavelmente vai cair em falsas doutrinas como o criacionismo progressivo, que tenta "mecanicamente" explicar o alcance em termos evolutivos, ao faltar a imagem profética maior inteiramente.

Pré-Adamitas Percorriam a Terra

Um defensor da fé Criacionista Progressiva é o Dr. Ross.

Começando entre 2 e 4 milhões de anos atrás, Deus começou criando mamíferos parecidos com o homem ou ‘hominídeos.’ Essas criaturas se erguiam em dois pés, tinham cérebros grandes, e usavam ferramentas. Alguns até mesmo enterravam seus mortos e pintavam em muros de cavernas.

Porém, eles eram diferentes de nós. Eles não adoravam a Deus ou estabeleciam práticas religiosas. Em tempo, todas essas criaturas parecidas com o homem se extinguiram. Então, cerca de 10 a 25 mil anos atrás, Deus os substituiu com Adão e Eva.’ (Site do Reasons To Believe, atualizado em 8 de Julho de 1997) [3]

Deus nunca menciona esses 'hominídeos' na Bíblia. Eles acreditam que Adão e Eva foram criados 4,000 anos depois (BC). Mas Marcos 10:6 diz

"porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea." - Marcos 10:6

Humanos foram criados na Criação - que era Adão e Eva, não anos e anos depois, após hominídeos andarem sobre a terra. Ross está exercendo pura imaginação, uma marca da cosmovisão evolucionista. Podemos ver como ele está fabricando outra história inteiramente, do nada, e usando-a para ré-explicar as Escrituras.

Isto é simplesmente um exemplo de alguém (Ross) que não acredita no texto evidente da Escritura. Ele então fabrica outra narrativa inteiramente, não de modo que ele possa acreditar mais na Escritura, mas acreditar menos.

A Soberania de Deus Ao Longo do Tempo

Criacionistas que acreditam em longas eras para a Terra e o Cosmos, também implicitamente rejeitam a soberania de Deus ao longo do tempo. A Bíblia diz "no princípios" Genesis 1:1 e diz também que o tempo teve um começo Tito 1:2 .

Curiosamente, os secularistas afirmam que os conceitos de espaço, matéria e tempo são ditos ter iniciado simultaneamente pelo Big Bang[2]. Assim, enquanto os criacionistas de longas eras aceitam longas eras, porque os secularistas afirmam que eles têm que aceitar, eles podem não entender que os secularistas também afirmam que o tempo teve um começo.

Eclesiastes fornece uma descrição detalhada da perspectiva de Deus no tempo, e afirma que Deus selou história e que o que nós encontramos até hoje "já aconteceu" Eclesiastes 3:15 .

Deus declara em seu próprio nome que ele é o grande "Eu Sou" Exodo 3:14 que é um nome que não pode mudar em qualquer época.

Jesus usou um modo verbal surpreendente quando ele disse à sua audiência, "Antes que Abraão existisse, Eu sou" João 8:58 .[3]

Nós medimos a mudança usando o tempo. Em nossa existência, qualquer coisa afetada por, ou sujeita ao tempo vai mudar lentamente. mas Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre Hebreus 13:8 . Deus nunca muda Malaquias 3:6 e nEle não há mudança nem sombra de variação Tiago 1:7 .

Os versículos acima citados revelam que Deus não está sujeito ao tempo, mas é de fato soberano sobre ele, e que Deus criou o tempo para seus próprios usos.

Reivindicações de longas idades são também uma acusação direta do caráter de Deus. Deus usa o tempo para expressar suas qualidades muito maiores. Sem tempo:

  • A justiça é instantânea
  • A misericórdia é inexistente
  • A fé humana requer tempo para crescer
  • Os seres humanos são salvos pela loucura da pregação, o que requer tempo para executar
  • A fé vem pelo ouvir, e o ouvir a palavra de Deus, o que requer tempo para o ouvinte a compreender e responder
  • A lealdade e fidelidade de Deus são expressas ao longo do tempo
  • A paciência e longanimidade de Deus são expressas ao longo do tempo
  • Deus entregou suas palavras através dos profetas ao longo do tempo
  • A piedade é muitas vezes algo desenvolvido durante um longo período de tempo
  • A sabedoria é adquirida ao longo do tempo, a loucura é no-momento
  • A admiração se ganha ao longo do tempo, a atenção é no-momento
  • O pecado é sempre no-momento e evita as limitações de tempo
  • As piores características da humanidade são exibidas quando o tempo é deixado de lado para a gratificação imediata - incluindo a impaciência, a iniqüidade, a gula, assassinato, adultério, a avareza, a obstinação, a raiva, injúria, a luxúria, a imoralidade sexual, a mentira e engano, defraudação, roubo etc.

Deus tem aproveitado o próprio tempo para expressar suas maiores qualidades para a humanidade, e exigiu da humanidade que use o tempo na construção das melhores qualidades que a humanidade pode ter. Deus adjura a humanidade para Efésios 5:18 remir o tempo porque o mal irá arruiná-lo.

Por último, talvez mais importante, a própria natureza de Deus compele a julgar o pecado. É uma repulsa ativa do pecado, expressa como o que a Bíblia chama de ira. Um Deus amoroso e onisciente reconhece essa característica de sua natureza, e sabe que tudo o que ele cria, se for mal, sua santidade ativa vai aniquilá-lo instantaneamente. Por esta razão, Deus criou o tempo como um meio para restringir sua ira, em essência, dando à sua criação uma chance de lutar para sobreviver a sua santidade sem ser destruída. As mecânicas do Tempo são profundas a este respeito. Um homem pode pecar toda a sua vida e chegar ao arrependimento em Cristo em anos posteriores. Deus constrangiu a sua ira, através do tempo, para fornecer amorosamente este homem um meio de sobreviver a sua ira.

Os criacionistas progressivos normalmente veem Deus como uma entidade que está vinculada ao "Tempo". Em essência, Deus está a progredir para a frente no "rio do tempo" ao mesmo ritmo que o resto de nós. Deus pode considerar que um dia é como mil anos 2Pedro 3:8 , mas esta dilatação do tempo não significa que Deus "viaja no tempo" ou de alguma forma "fica à frente de nós". Como tal, eles acreditam que Deus pode "ver o futuro" e "mostrar esse futuro" para os profetas, E assim "orquestrar" as coisas no aqui-e-agora, eventualmente, trazendo as coisas que vão passar no futuro.

Eles imaginam a criação como um tabuleiro de xadrez gigante, com muitas permutações que acontecem a cada fração de segundo, mas Deus é capaz de dominar tudo e fazer as coisas acontecerem. Por exemplo, neste ponto de vista, Deus deu forma a história, para que todas as coisas convergissem em Belém para o nascimento de Cristo. Um secularista chamou este ponto de vista de "diretor frenético", onde o diretor de uma peça está assistindo a peça se desenrolar em tempo real, e o caos se instala com ele tentando trazer a peça de volta ao curso em tempo real. Esta visão do "Tempo" pressupõe que Deus não é soberano sobre o tempo, mas que o tempo é soberano sobre Deus.

A maneira apropriada a considerar a relação entre Deus e o tempo, usando a analogia do "rio", é que a humanidade está sentada em um rio com um denso nevoeiro rio abaixo e uma leve neblina rio acima. Deus está presente em cada extremidade do rio e todos os pontos entre. Não há nenhuma parte do rio onde Deus não está.

A onipresença de Deus, a este respeito, é elevada de ser apenas "em todos os lugares" para além disso "em todo o quando"[4].

Com o ponto de vista acima de Deus e Time, Deus já viu o fim do tempo, razão pela qual ele poderia mostrar isso para o Apóstolo João, que foi claramente transportado no tempo para estar fisicamente presente para medir a cidade de Deus, entre outras coisas ele alegou uma experiência pessoal em tempo real, mesmo que fosse no futuro para todos os outros. Este ponto de vista do Tempo é um anátema para um criacionista progressivo, que deve abraçar a noção de Deus freneticamente tentando consertar as coisas conforme elas quebram.

Um pensamento: Se Jesus é o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Apocalipse 13:8) então podemos ver como Deus poderia saber os detalhes muito específicos de nascimento, morte e ressurreição de Cristo? Isso não era porque ele "previu" o que estava prestes a acontecer, mas porque ele estava realmente em pé no "marco zero" e relatou o que estava acontecendo lá em tempo real. César Augusto tinha passado uma lei para a tributação, exigindo que todas as pessoas fossem para a cidade de sua linhagem. Maria e José fizeram exatamente isso. Será que devemos acreditar que Deus orquestrou Augusto para fazer o decreto a fim de que Maria e José fossem viajar, ou tinha isso já acontecido e Deus estava relatando as circunstâncias acontecendo em tempo real? Claramente Deus tem o poder de orquestrar, mas um Deus onipresente tem o poder de transcender o tempo.

Nenhum lucro no Criacionismo progressivo

Finalmente, os criacionistas progressivos, ao tomar lado com as afirmações seculares de longas eras, tem tomado uma posição conveniente. Conveniência não requer nenhum esforço e, como mencionado acima, se alinha com as prioridades temporais em vez das eternas. O criacionista progressivo não quer ser visto pelos secularistas como tolo, ainda que Deus tem colocado um prêmio sobre as coisas que o mundo secular chama tolas 1Corintios 1:27 e o fraco para mostrar a sua força 2Corintios 12:9 . O que o criacionista progressivo não entende é que os secularistas, como Richard Dawkins, mostram o seu desprezo por pessoas que acreditam em Deus e na Bíblia, chamando-os delirantes. O criacionismo progressivo já perdeu. Eles rejeitaram a verdade das Escrituras pensando que seria valorizados pelos secularistas, mas os secularistas os desprezam ainda mais por estarem em cima do muro.

Ver também


Referências

Ligações externas