Agnosticismo

De CriaçãoWiki, a enciclopédia da ciência da criação.

O agnosticismo é um sistema de crença que nega a possibilidade de ter conhecimento ou a verdade sobre a natureza fundamental do universo, e em particular sobre Deus. Ele difere do ateísmo em não negar a existência de Deus ou divindades cósmicas. Um agnóstico simplesmente afirma que não há conhecimento insuficiente ou dados para determinar se Deus existe ou não existe.

Etimologia

A palavra agnóstico é derivada a partir da palavra grega (a) significando "sem" e γνῶσις (gnósis) sgnificando "conhecimento". Thomas Huxley, que cunhou o termo, articulou seu ponto de vista de certa forma na seguinte carta postada em 23 de Setembro de 1860, a Charles Kingsley:

Eu nem afirmo nem nego a imortalidade do homem. Eu não vejo nenhuma razão para acreditar, mas, por outro lado, não tenho nenhum meio de refuta-la. Eu não tenho nenhuma objeção a priori à doutrina. Nenhum homem que tem de lidar diariamente ea cada hora com a natureza se pode incomodar sobre as dificuldades a priori. Dê-me as provas que iriam me justificar em acreditar em qualquer outra coisa, e eu vou acreditar nela.Por que não deveria? Não é metade tão maravilhoso como a conservação da força ou a indestrutibilidade da matéria ...

Não adianta falar comigo de analogias e probabilidades. Eu sei o que eu quero dizer quando digo que acredito na lei dos quadrados inversos, e eu não vou descansar minha vida e as minhas esperanças sobre convicções mais fracas ...

Que minha personalidade é a coisa mais segura eu sei que pode ser verdade. Mas a tentativa de conceber o que é me leva em meras sutilezas verbais. Eu tenho mastigado toda essa palha sobre ego e o non-ego, noumena e fenômenos, e todo o resto, demasiado frequentemente sem saber que na tentativa até mesmo de pensar nessas questões, o intelecto humano esperneia de uma vez fora de sua profundidade.

Cristianismo e Agnosticismo

Na verdade a fé cristã suporta esta filosofia de uma forma, mas certas verdades absolutas do mundo natural e sobrenatural podem ser conhecidas. Como a maioria das idéias populares, há um grão de verdade no agnosticismo: o reconhecimento da fragilidade da mente humana. Foi Jesus Ele próprio que disse aos fariseus:

" E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não veem vejam e os que veem sejam cegos. Aqueles dos fariseus que estavam com ele, ouvindo isso, disseram-lhe: Também nós somos cegos? Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos, por isso, o vosso pecado permanece.'" - João 9:39-41

Da mesma forma, em Jó 38-41 Deus responde fora do redemoinho, apontando exatamente como Jó é ignorante dos caminhos do universo. Muitos cristãos estão mais do que dispostos a reconhecer sua ignorância e fragilidade mental em face de Deus e o universo. Mas a partir deste reconhecimento, agnósticos e os cristãos divergem acentuadamente. Um cristão reconhece a sua ignorância, mas procura aprender por buscar a Deus que é a verdade para todas as coisas assim como Ele é o Criador de todas as coisas. Como Jesus disse;

"Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre.." - Mateus 7:7-8

O agnóstico por contraste, conclui que, porque ele é ignorante então ele sempre vai ser ignorante e, assim, deixa de procurar a verdade ou tentar entender qualquer outra pessoa, uma vez que é inconclusivo de qualquer forma. A partir de uma perspectiva cristã, essa é uma non sequitur. Só porque alguém não conhece a Deus agora não significa que nunca se pode conhecê-Lo; mas se alguém deixa de tentar, alguém pode estar certo de que nunca irá conhecê-Lo. Ser um agnóstico é reconhecer a própria ignorância e se entregar a ela. Ser um cristão é reconhecer a própria ignorância, mas, em seguida, dizer, como Paulo que,

"Porque, agora, vemos por espelho em enigma; mas, então, veremos face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido." - 1_Coríntios 13:12

Referências